A associação de temperaturas máximas em elevação, umidade relativa do ar em declínio e a falta de chuvas é comum neste período do ano em Goiás e parte da região Centro-Oeste. Essa combinação castiga bastante, o corpo desidrata, a pele e o nariz ressecam, há uma sensação de irritação na garganta e os olhos ardem. Não é fácil.

Mesmo com as chuvas que atingiram Goiânia e outras partes do Estado durante essa semana, as precipitações não serão suficientes para alterar o cenário atual. O jeito é redobrar os cuidados a serem seguidos neste período. O POPULAR conversou com especialistas de diferentes áreas e reuniu algumas dicas e orientações que podem amenizar os incômodos. 

Doenças respiratórias

Lavagem nasal

As infecções virais, as rinites, as bronquites e até a descompensação asmática são comuns nesta época. A otorrinolaringologista e membro Associação Goiana de Otorrinolaringologia e Cérvico Facial (AGORLCCF), Heloísa Morais, orienta a lavagem nasal com soro fisiológico, por exemplo. A médica ainda ressalta que não é recomendado utilizar água e os soros caseiros, que não são indicados para essa limpeza.  

Hidratação corpórea

Para a hidratação interna a orientação é beber água. Heloísa explica ainda uma fórmula para calcular a ingestão de água e assim garantir uma hidratação básica. “O cálculo seria uma média de 30 ml de água por quilo do indivíduo.” 

A ingestão de água para a hidratação interna também é endossada pela especialista em Nutrição Oncológica (SBNO) e especialista em Fitoterapia (Asbran), Jordana Colombo Torres. Ela explica que a água além de hidratar vai limpar as impurezas do organismo. Os sucos e chás atuam como extras e não podem entrar na média de litros de água que uma pessoa deve beber por dia. 

Para Jordana quantificar a quantidade de água a ser ingerida pode auxiliar ao longo do dia e uma sugestão seria aromatizar. “Coloca a quantidade em uma jarra e aromatiza com folhas de hortelã, de erva cidreira, abacaxi fatiado, uva, morangos, paus de canela ou cravos da índia”, explica. 

Alimentação leve

A alimentação é outro ponto que merece atenção neste momento.  Alimentos embutido como presunto, salsicha, mortadela e linguiça, por apresentarem grande quantidade de sódio e sal, devem ser evitados assim como as comidas gordurosas, que podem pesar na digestão, e as frituras. A dica é optar por alimentos mais leves, frutas, vitaminas, smoothies e saladas coloridas com frutas e verduras; carnes magras e ovos. 

Hidratação da pele

E quem pensa que apenas beber água resolve, está enganado. A pele dos recém-nascidos, das crianças pequenas, dos adultos e dos idosos também precisa de cuidados. Hoje no mercado há várias opções desde cremes hidratantes, balmes e loções e há diferenças entre eles. A dermatologista, Isabela Corral, afirma que não dá para usar qualquer hidratante. Para os recém-nascidos é um tipo e para os bebês há específicos sem perfume e conservantes, por exemplo. 

Além da escolha adequada do produto levando em consideração o tom de pele, se a pessoa tem melasma ou risco de câncer de pele, a profissional pontua que em alguns casos o mesmo deverá ser aplicado mais de uma vez ao dia. Para uma melhor absorção o hidratante deve ser aplicado alguns minutos após o banho com a pele ainda úmida e em alguns casos é necessário usar produtos diferentes para o rosto e para o corpo. Isabela explica ainda que o banho deve ser rápido com água morna, pouco sabonete e sem bucha, porque podem ressecar a pele.  

Cuidados com a boca

A boca também pede atenção. O uso de batons de proteção labial ajuda a manter a hidratação da cavidade oral, mas segundo o especialista em ortodontia e ortopedia funcional dos maxilares, Cassiano Medeiros, é necessário manter os cuidados básicos de higiene, como escovar os dentes e passar fio dental. “Em quase um ano e meio de pandemia as pessoas estão ficando mais em casa e acabam comendo mais e os dentes ficam muito tempo sem ser escovados.” 

E quando perceber que a pessoa está sempre com os lábios entreabertos, com as mucosas bem ressecadas e até com olheiras o ideal é procurar um especialista. “Vamos orientar o paciente a fazer uma boa respiração mesmo estando de máscara.” 

Alergias

As pessoas alérgicas tendem a apresentar mais incômodos neste período e devem redobrar os cuidados com a hidratação. Outra medida é deixar o ambiente o mais arejado possível no período da manhã, aumentar a ventilação, manter a casa limpa sem poeira e quando for fazer a limpeza optar por panos úmidos ou jogar água. 

Limpeza do lar e atividades físicas ao ar livre

Outro cuidado: trocar a roupa de cama, duas vezes por semana, higienizar o colchão e os travesseiros, evitar roupas e lençóis que tenham plumagem e lavar as cortinas frequentemente. Para os adeptos da atividade física, Heloísa recomenda evitar atividades ao ar livre, principalmente, nos horários em que as temperaturas máximas estão elevadas e hidratar bastante. 

Uso de vaporizador e ar-condicionado 

Os vaporizadores são uma medida utilizada para aumentar a umidade do ar, mas é preciso alguns cuidados na utilização e na limpeza. A otorrinolaringologista explica que a umidade acima de 70% é considerada prejudicial do ponto de vista que pode aumentar a possibilidade de infecções fúngicas ou bacterianas. O uso de tolhas molhadas também é indicado. 

Os aparelhos devem ser higienizados diariamente com água e se possível sabão de coco e após bem secos pode passar álcool líquido ou em gel. Essas orientações também valem para quando for guardar o vaporizador. Utilizar água potável e evitar colocar aromatizadores ou produtos químicos quando for usar. A água não deve ficar parada por muito tempo. 

A maneira correta de usar o vaporizador é liga-lo três horas antes de dormir e desligar quando deitar. No entanto, se for ligar no momento em que for dormir coloque o vaporizador em velocidade mínima, não direcione o jato para a cabeceira da cama e nem para a parede para não umidificar e nem aumentar a possibilidade de mofo. Para os pacientes positivos para Covid-19, o ideal é cumprir o isolamento social e não compartilhar o aparelho com outras pessoas da casa. 

O ar-condicionado neste tempo seco deixa o ar mais seco ainda. A recomendação é durante o uso utilizar também um vaporizador por um período mais curto e assim garantir que o ambiente esteja umidificado acima de 40% e abaixo dos 70%. A tela do equipamento deve ser lavada a cada 15 dias e se possível com sabão de coco.