O que começou como um desejo de compartilhar uma viagem com alunos da Escola Estadual Agnelo Ribeiro, em Bela Vista de Goiás, a 52 km de Goiânia, se tornou uma verdadeira jornada para o professor e biólogo, Brunno Magalhães. Ele vai pedalar pela América do Sul produzindo videoaulas a fim de levar conhecimento para diversas escolas brasileiras através do Projeto Ciclo Saber.

O cicloviajante saiu de Itumbiara, no dia 24 de janeiro deste ano, e vai percorrer mais de 15 mil km com objetivo de divulgar a ciência e incentivar os alunos a usarem a bicicleta como forma de transporte, lazer e esporte. Brunno conta que, até o momento, não conta com nenhum tipo de patrocínio, apenas com a colaboração de outros professores na elaboração das videoaulas.

“Os vídeos serão entregues de forma gratuita para todas as escolas, que se inscreverem no projeto. Já temos 46 instituições inscritas, com 17 mil estudantes de diversas partes do Brasil. Todos os vídeos poderão ser usados para aulas de ciências, geografia e história para falar sobre os biomas, a biodiversidade, cidades históricas e cultura dos locais por onde eu passar”, afirma.

Inscrições

Para ter acesso aos vídeos, o biólogo explica que, inicialmente, é necessário realizar a inscrição através de um formulário. “Os vídeos não são, por exemplo, só dos biomas, mas são filmagens minhas chegando de bicicleta nesses locais. Eu acredito que isso prende muito a atenção dos alunos, pois desperta a curiosidade nelas de uma pessoa que viaja pedalando, o que é atrativo”, destaca.

Paradas

A jornada do professor tem pontos de paradas pelos parques nacionais, pelo Cerrado, Mata Atlântica, Pampas e as cidades históricas brasileiras, mas também pela costa do Uruguai, as Cordilheiras do Andes, as ruínas de Machu Picchu e muitos outros. No total, o Projeto Ciclo Saber conta com apoio de 10 professores voluntários, que vão colaborar na produção dos vídeos.

Além disso, Brunno conta que faz paradas em escolas para visitar estudantes e realizar uma roda de conversa sobre a viagem. “Outra coisa que faço é visitar as escolas, faço fotos e vídeos com os alunos. Sou eu, minha bicicleta, minha comida e panelas, o material para acampar e o material para fazer as filmagens. Isso deixa os estudantes curiosos, que passam a me acompanhar nas redes sociais”, conta.

O professor também explica que os vídeos são produzidos com foco em crianças e adolescentes, alunos do Ensino Fundamental I e II e do Ensino Médio. “Os formatos são variados, com vídeos  de vinte minutos ou mais curtos, que podem ser compartilhados nas redes sociais”, descreve. Por fim, destaca que também é possível colaborar com o projeto através de uma campanha na internet.

Leia também:

- Engenheiro se torna o segundo brasileiro a viajar ao espaço; veja vídeos

- Governo do Japão oferece bolsas para estudantes brasileiros