Em 2022, mais de 36 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço devem surgir no País segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que é ligado ao Ministério da Saúde. Os números de ‘pescoço’ incluem casos de tumores na laringe, tireoide e na boca. No mês de julho, há uma intensificação nas ações de conscientização, o chamado Julho Verde. Se tratados de forma precoce, a probabilidade de cura chega a 90%.

Em relação ao câncer da cavidade oral (boca), o Estado de Goiás apresenta uma estimativa de 9,21 casos por 100 mil homens e 3,3 casos por 100 mil mulheres. Em se tratando do câncer de laringe, Goiás apresenta uma estimativa de 5,74 casos por 100 mil homens e 1,2 casos por 100mil mulheres. Já para o câncer de tireoide observamos uma estimativa de 1,47 casos por 100 mil homens e 8,95 casos por 100 mil mulheres, segundo dados do Inca.

Em Goiás, no Hospital do Câncer Araújo Jorge, principal unidade oncológica do estado - considerado referência no Centro-Oeste com atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) - cerca de 10 mil pacientes são atendidos mensalmente no setor de cabeça e pescoço. Destes, 3 mil precisam ser submetidos a cirurgias por conta da gravidade dos tumores.

Homens têm mais chance

Cirurgião de cabeça e pescoço e diretor técnico do Instituto da Tireoide & Laringe, Francisco Amorim detalha que, de um modo geral, os homens têm 2 a 3 vezes mais chances de desenvolver câncer de cabeça e pescoço do que as mulheres. Ele explica que isso se deve, principalmente, em virtude do estilo de vida que os homens apresentam, principalmente quanto ao uso de tabaco e consumo de bebida alcoólica.

O especialista reforça que, diferentemente de muitos tipos de câncer, cujas principais causas ainda não são conhecidas, os tumores de cabeça e pescoço têm como seus principais fatores de risco bem estabelecidos o uso de cigarro e consumo exagerado de bebida alcoólica.“Pelo menos 75% dos cânceres de cabeça e pescoço são causados pelo consumo de tabaco e bebida alcoólica, e o que se observa em nossa população é que os homens, na sua grande maioria, fumam e consomem bebida alcoólica em maior frequência e quantidade do que as mulheres.”

Amorim destaca que a negligência dos homens aos sintomas inicias da doença acaba por levar a uma triste realidade: 70% destes pacientes que chegam ao ambulatório médico, em sua primeira consulta, apresentam o câncer de cabeça e pescoço em estágio avançado.

Probabilidade de cura X tratamento tardio

De forma geral, segundo dados do Inca, 76% dos casos de câncer envolvendo cabeça e pescoço são diagnosticados de forma tardia, já em estágio avançado, o que dificulta o tratamento e eleva a taxa de mortalidade. Além disso, os dados atuais apontam que homens acima de 40 anos são os mais afetados. Em 2019 foram confirmadas 20.722 mortes por câncer de cabeça e pescoço.

Para o câncer de tireoide a probabilidade de cura chega a 90% em jovens. Já em casos de câncer de boca e de laringe, os percentuais chegam a 80%. Quando o diagnóstico é para câncer de pele, os dois mais comuns são: carcinoma basocelular (CBC) e carcinoma espinocelular (CEC) e ambos têm 90% de chance de cura se forem identificados rapidamente. Já o melanoma, que é mais agressivo, tem uma taxa de ocorrência menor, mas pode se espalhar para outros órgãos caso seja detectado tardiamente.

Prevenção e busca por especialista

A prevenção inclui a manutenção de uma alimentação saudável, a prática de atividade física regular, higiene bucal em dias e uso de protetor solar. Além disso, deve-se evitar consumo excessivo de bebidas alcoólicas e os cigarros. Ao perceber qualquer desconforto ou um dos sintomas listados abaixo, é importante procurar atendimento médico. A procura por um especialista na fase inicial da doença aumenta as chances de sucesso no tratamento.

"O cigarro e a bebida alcoólica são responsáveis por 70% dos casos dessa neoplasia. Por isso, a principal forma de prevenção é evitar o consumo de álcool e produtos do tabaco”, afirma a coordenadora de Prevenção e Vigilância do INCA, Liz Almeida. O chefe da Seção de Cabeça e Pescoço do instituto, o cirurgião Fernando Dias acrescenta ainda que uma das recomendações para obter o diagnóstico precoce é consultar periodicamente um dentista, profissional que pode identificar lesões em estágios iniciais na cavidade oral.

Boa notícia

Cirurgião de cabeça e pescoço e diretor técnico do Instituto da Tireoide & Laringe, Francisco Amorim diz que mesmo diante de dados tão alarmantes, a boa notícia é que quando um câncer de cabeça e pescoço é detectado em sua fase inicial, são grandes as chances de sucesso no tratamento. Por este motivo, ele reforma que é importante ficar atento aos sintomas iniciais da doença, como aparecimento de nódulo no pescoço de crescimento lento e progressivo, manchas brancas ou avermelhadas na boca e ferida na boca que não cicatriza em duas semanas.

Ele ainda acrescenta que entre os sintomas está a dificuldade para mover a mandíbula ou a língua, dor de garganta que não melhora em 15 dias, dificuldade ou dor para engolir os alimentos, alterações na qualidade da voz ou rouquidão por mais de 15 dias. A orientação é procurar atendimento médico para avaliação o quanto antes.

 

Quais são os principais fatores de risco?

Para o câncer de cavidade oral (boca)

- Tabagismo

- Consumo excessivo de álcool

- Exposição ao sol sem uso de protetor labial

- Infecção por HPV (Papolomavírus Humano)

 

Para o câncer de tireoide

- Dieta pobre em iodo

- História de irradiação do pescoço

- Radioterapia em baixas doses (principalmente na infância)

- História familiar de câncer de tireoide

- Obesidade

- Tabagismo

- Exposições hormonais

- Poluentes ambientais

 

Para o câncer de laringe

- Tabaco (cigarros, charutos, cachimbos, narguilés e produtos feitos por rolos)

- Consumo excessivo de bebidas alcoólicas

- Excesso de gordura corporal

- Exposição ocupacional de alguns elementos como pó de madeira, produtos químicos utilizados na metalurgia, petróleo, plásticos, indústrias têxteis e o amianto

 

Para o câncer de pele

- Exposição prolongada ao sol (raios ultravioleta – UV), principalmente na infância e adolescência

- Exposição ao sol sem uso de protetor solar

- Exposição a câmeras de bronzeamento artificial

- História familiar de câncer de pele

 

Quais são os principais sintomas de câncer na cabeça e no pescoço?

- Aparecimento de nódulo no pescoço

- Manchas brancas ou avermelhadas na boca

- Ferida que não cicatriza em duas semanas

- Dor de garganta que não melhora em 15 dias

- Dificuldade ou dor para engolir

- Alterações na voz ou rouquidão por mais de 15 dias

*Esses sinais também são causados ​​por outras condições clínicas. Portanto, é importante conversar com seu médico.

 

Estimativa para 2022

Boca (cavidade oral) = 15.190, sendo 11.180 em homens e 4.010 em mulheres

Laringe = 7.650, sendo 6.470 em homens e 1.180 em mulheres

Tireoide = 13.780, sendo 1.830 em homens e 11.950 em mulheres

Total = 36.620 novos casos de câncer de cabeça e pescoço, sendo 19.480 em homens e 17.140 em mulheres.

Fonte: SBCCP/INCA