Um piloto suspeito de fazer voos panorâmicos sem autorização decolou e fugiu quando o helicóptero em que ele estava iria ser abordado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em Caldas Novas, cerca de 168km da capital.

A aeronave, um Robinson R44 Raven II, registrado sob a matrícula PR-ETO, que oferece passeios a turistas não poderia realizar voos devido a uma suspensão administrativa. Além disso, há a suspeita de que ela fazia táxi aéreo de forma irregular.

A abordagem aconteceu no domingo (21) pela manhã, quando o piloto se preparava para embarcar um grupo de passageiros. Ao identificar a equipe da Agência e os policiais militares, o piloto acionou a aeronave e fugiu do local. Pedro Sarkis, fiscal da operação e servidor da Anac, alertou sobre os riscos desse tipo de transporte. 

"O transporte aéreo irregular é um risco para os contratantes e para os moradores da região do voo. As aeronaves que realizam operações sem cumprir regras devem ser evitadas e denunciadas”, explicou.

O piloto receberá suspensão cautelar das habilitações e a ANAC abrirá novo processo contra a empresa registrada como operadora da aeronave. O descumprimento das regras poderá ensejar em punições administrativas e de operação aos envolvidos.