Começa nesta segunda-feira (1) a coleta do Censo Demográfico 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em todo o país, os recenseadores vão visitar cerca de 75 milhões de domicílios para aplicar os dois tipos de questionários: o básico, com 26 perguntas (5 minutos), e o ampliado, com 77 questões (15 minutos).  

Em Goiás, o evento de lançamento da pesquisa censitária ocorre no Centro Cultural Oscar Niemeyer, às 8h, e conta, pela primeira vez na história do recenseamento, com a participação de estudantes do ensino fundamental da capital. Realizado a cada 10 anos, o Censo 2022 deveria ter sido realizado há dois anos atrás, mas acabou prorrogado devido à pandemia de coronavírus.

O questionário pode ser respondido presencialmente, por telefone ou pela internet. Caso o morador tenha alguma dúvida, pode entrar em contato pelo número (0800 721 8181, onde agentes estão disponíveis para auxílio conceitual e operacional no preenchimento do questionário via internet.

Importância do Censo

Além da contagem populacional, a pesquisa traz informações sobre condições de vida, emprego, renda, acesso a saneamento, saúde e escolaridade, entre outros. É por meio do Censo que o Governo consegue traçar um retrato real abrangente de todo o país e criar políticas públicas em cima das necessidades da população, veja algumas delas:

- Calibragem da democracia representativa, através da contagem populacional (definição do número de deputados federais e estaduais e de vereadores);

- Determinação dos públicos-alvo de políticas públicas federais, estaduais e municipais;

- Detalhamento da população em risco para campanhas de vacinação;

- Ajustes nas políticas para superação e recuperação pós-pandemia;

- Distribuição das transferências da União para estados e municípios, com impacto significativo nos orçamentos públicos (segundo o IBGE, em 2019, 65% do montante total transferido da União para estados e municípios consideraram dados de população);

- Transferências e recursos para a administração do Bolsa Família;

- Identificação de áreas de investimento prioritário em saúde, educação, habitação, transportes, energia, programas de assistência a crianças, jovens e idosos.

Como identificar um recenseador

Todos os recenseadores do IBGE estarão identificados com boné, colete, crachá e o Dispositivo Móvel de Coleta (DMC). Dentro do crachá há um QR Code que pode ser lido pelo celular. Com isso, o cidadão pode confirmar o nome, a foto do recenseador e verificar se ele pertence ao quadro de servidores do Instituto.

A população pode confirmar a identidade dos recenseadores e dos agentes de pesquisa do IBGE pelo 0800-721-8181 ou diretamente pelo site na aba "Respondendo ao IBGE". O número da matrícula no crachá do entrevistador pode ser informado no site para confirmação.

Após a visita inicial obrigatória, na qual o recenseador também registrará as coordenadas de cada endereço, o morador pode optar pelo autopreenchimento via internet. A partir daí, é gerado um e-ticket, com prazo de validade de sete dias, para que a pessoa responda ao questionário online.

Outra novidade do Censo 2022 é a possibilidade de preenchimento por telefone, processo pelo qual a Central de Atendimento é responsável. Após a visita para o cadastramento do endereço e de pelo menos um contato com o morador, ele pode escolher responder por telefone.

Novidades

Este é o primeiro Censo totalmente digital, da coleta à transmissão, acompanhamento, armazenamento e processamento dos dados. 

O questionário básico traz os seguintes blocos de perguntas: identificação do domicílio, informações sobre moradores, características do domicílio, identificação étnico-racial, registro civil, educação, rendimento do responsável pelo domicílio, mortalidade.

Já o questionário da amostra, além dos blocos contidos no questionário básico, investiga também: trabalho, rendimento, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, pessoas com deficiência, migração interna e internacional, deslocamento para estudo, deslocamento para trabalho e autismo.

Além disso, o IBGE solicita os dados da pessoa que prestou as informações, como nome, telefone, e-mail e CPF. Qualquer morador acima de 12 anos, capaz de fornecer as informações, pode responder ao recenseador por todos os demais moradores do domicílio.

Todas as informações coletadas são confidenciais, protegidas por sigilo e usadas exclusivamente para fins estatísticos, conforme estabelece a legislação pertinente: Lei nº 5.534/68, Lei nº 5.878/73 e o Decreto nº 73.177/73. Já a Lei nº 5.534, de 14 de novembro de 1968, dispõe sobre a obrigatoriedade de prestação de informações estatísticas.

Ausência

Caso o recenseador não encontre o morador na primeira visita, ele deixará um bloco de recado e/ou tentará o contato por telefone, quando houver essa informação no DMC. Além disso, o recenseador deverá retornar ao domicílio, no mínimo, mais quatro vezes, sendo que uma obrigatoriamente em turno alternativo.

Depois que o recenseador encerra a coleta no setor censitário, o supervisor retornará nos domicílios com morador ausente ou com recusa expressa e entregará uma carta de notificação, contendo um e-ticket válido por dez dias para o preenchimento pela internet.

Leia também: 

Concurso do IBGE tem quase 400 vagas em 113 municípios de Goiás; veja como se inscrever

IBGE abre 398 vagas para agente censitário temporário