A Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR) participa da 75ª Exposição Agropecuária do Estado de Goiás, entre os dias 5 e 14 de agosto, com um stand para exposição do trabalho realizado pelos policiais.  

No período de julho de 2021 a julho de 2022, a DERCR prendeu 66 pessoas e recuperou 443 cabeças de gado. Os animais totalizam mais de R$ 1,7 milhão em patrimônio revertido às vítimas. Em relação ao maquinário, foram apreendidos e recuperados 17 tratores, 116 toneladas de fertilizantes, 18 toneladas de defensivos agrícolas, 26 toneladas de sementes de soja e 2 carretas bitrem. Ao todo, segundo a corporação, a delegacia recuperou nos últimos 12 meses mais de R$ 16,6 milhões em bens subtraídos. 

Como funciona o trabalho? 

Com foco no campo, a Polícia Civil do Estado de Goiás criou a Rede de Combate ao Crime Rural, sendo um modelo de trabalho especializado em crimes relacionados ao agronegócio e no aumento da capilaridade policial. Dessa forma, a DERCR possui 18 Pontos Focais Rurais espalhados pelo estado. 

A corporação destaca que os pilares de trabalho são Inteligência, Integração e Aproximação, para que as ações não só realizem prisões e apreensões, mas que possam identificar associações e organizações criminosas, com a integração de forças policiais e setores ligados ao campo, além da aproximação dos produtores rurais e pessoas que participam do agronegócio. Parte do trabalho de integração é feito com a Delegacia de Crimes Rurais e o Comando de Operações de Cerrado, através do Batalhão Rural. 

Leia também:

- Agricultura familiar representa 62% das propriedades rurais

- PC investiga origem de insumos e maquinários apreendidos avaliados em R$ 3 milhões

- Operação resgata 92 trabalhadores em condições análogas à escravidão em Goiás no mês de julho