Duas semanas antes de o tapeceiro João Victor Nunes Araújo Guedes, de 27 anos, ser morto dentro da Casa de Prisão Provisória (CPP), a Defensoria Pública do Estado de Goiás (DPE-GO) entrou com um habeas corpus pedindo que ele respondesse pelo crime em liberdade. Preso em flagrante no dia 8 de fevereiro por furto em um supermercado de Goiânia, ele deveria ter tido a pris...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários