Uma travesti, de 22 anos, morreu na última quarta-feira (8), no Hospital Estadual de Urgências de Anápolis (HUANA), a 60 km de Goiânia, duas semanas após realizar uma cirurgia plástica. A família denuncia que o procedimento foi realizado em uma clínica clandestina em Goiás e cobra uma investigação. Segundo amigas da vítima, ela teria injetado 2 litros de silicone indust...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários