A liberdade do gestor para decidir como esse dinheiro será investido, segundo o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), encontra alguns limites que podem ser cobrados judicialmente se não foram obedecidos durante o processo de contratação de um artista. “Mesmo que não seja feito o uso de dinheiro destinado para a saúde e educação, as cidades também têm outras dema...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários