O reencontro da família do engenheiro agrônomo Marcelo Gonçalves Rodrigues, de 52 anos, depois de mais de dois meses foi emocionante. Além da esposa, dois filhos e nora, ele reencontrou os dois cães da família, que mora no Mato Grosso. Passando por um tratamento de saúde na capital goiana que tinha previsão de durar duas semanas, algumas complicações acabaram ampliando a estadia de Marcelo em Goiânia. “Foi uma emoção”, diz Valéria Capel, esposa de Marcelo.

Valéria conta que sempre que a família precisa de algum atendimento médico mais complexo, procuram em Goiânia. “Quando chegamos, pensamos que fosse ser rápido. Temos uma funcionária na nossa casa, que fica em Porto Alegre do Norte, que estava responsável pelos animais. Ela ia todos os dias, duas vezes por dia, para cuidar, alimentar. Nos últimos dias, passou a dizer que o Alok, da raça shitzu, estava ficando estressado, com comportamento diferente.”

A esposa de Marcelo conta que os animais são como membros da família. “Estávamos com muita saudade, mas não tinha como ir à nossa casa. Então nosso filho Homero Gonçalves Rodrigue Neto 30, médico, que é médico, disse que poderia trazê-los neste mês de julho.” Com tudo organizado, o filho mais velho chegou à Goiânia no último sábado (23) e foi aquela festa. “O quarto onde o Marcelo está internado fica na esquina me passamos e levar os cães para que ele os visse pela janela.”

As enfermeiras se sensibilizaram e perguntaram para Valéria se ela não queria que os animais fizessem uma visita para Marcelo no apartamento onde está internado. “A gente nem tinha pensado em fazer o pedido, mas eles viram que isso seria importante para a recuperação do meu marido. As enfermeiras disseram que esta é uma prática do hospital e que seria bom se a família toda se reunisse.” Mais do que depressa, esposa, filhos, além de Homero, participaram da visita Marcelo Gonçalves Rodrigues Filho, 24 anos, a nora Luisa Rebelatto, 23 anos, e os pets se prepararam para o encontro.

Na terça-feira (26), os animais surpreenderam Marcelo no quarto do hospital quando ele terminava de se barbear. Ele sabia que os cães fariam uma visita, mas não sabia quando. “Foi muito lindo. A reação dos cães foi muito interessante. Eles ficaram muito felizes, mas também foram muito cuidadosos, carinhosos. Eles entendem o que está acontecendo, estavam com saudade. Eles mataram a saudade e pra mim, foi o melhor sentimento que poderia sentir naquele momento.”

Leia também:

Cachorro segue dono em ambulância até hospital, em Aparecida de Goiânia; vídeo

Cães levam alegria a pacientes com câncer em hospital de Goiânia