A reportagem começa chamando a atenção para uma demanda latente das pessoas com nanismo: elas não admitem mais serem tratadas como anãs ou anãzinhas. Para o grupo, o termo anão é ridicularizado, estereotipado e não condiz com gente que está em busca de mais inclusão, cidadania e que anseia por ser mais ouvida e considerada pela sociedade. "A informação é a melhor ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários