O porteiro de uma escola de Montividiu, no Sudoeste do estado, foi indiciado por produzir material pornográfico de crianças e adolescentes e divulgar na internet. A prisão aconteceu em 26 de maio durante a Operação Querubins, mas as investigações só foram finalizadas nesta semana pela Polícia Federal. Caso seja condenado pelos crimes, o porteiro pode cumprir 25 a...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários