O prazo para se inscrever no Prouni (Programa Universidade Para Todos) começa nesta segunda-feira (1º.ago) e vai até está quinta (4). A inscrição é gratuita e feita pela página do programa.

Os inscritos concorrem a bolsas de estudos integrais e parciais (50% da mensalidade) em instituições de ensino superior privadas. As bolsas valem para graduação e cursos sequenciais.

Para se inscrever, o candidato deve ter participado de uma das duas últimas edições do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e ter obtido média de 450 nas cinco provas do exame. Estudantes que tiraram zero na redação ou participaram do Enem como treineiros nas duas últimas edições não podem se inscrever no Prouni.

Pessoas que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas podem se inscrever, assim como aqueles que estudaram em escolas particulares, mas tiveram bolsa integral ou parcial, e os estudantes que fizeram parte do ensino médio em instituições privadas e parte na rede pública. Também podem se candidatar pessoas com deficiência.

Leia também

Presidente do Inep pede demissão e órgão passa pela 5ª mudança sob Bolsonaro

Goiás oferece mais de 600 vagas em cursos técnicos; veja como se cadastrar

Para conseguir a bolsa integral, os inscritos devem ter renda familiar bruta mensal, por pessoa, de 1,5 salário mínimo, ou seja, ao somar a renda de todas as pessoas da casa e dividir o valor pela quantidade de moradores, o total deve ser igual ou inferior a R$ 1.818. Já para a bolsa parcial, o teto é de três salário mínimos: R$ 3.636.

Na hora da inscrição, os candidatos podem selecionar duas instituições para concorrer, bem como dois cursos e dois turnos. As opções devem ser por ordem de preferência e os estudantes podem fazer alterações a qualquer momento durante o prazo de inscrição. Será considerada válida a última opção confirmada na página do candidato quando o período de inscrição chegar ao fim.

Pessoas com deficiência, pretos, pardos e indígenas têm a opção de concorrer às vagas destinadas às políticas afirmativas.

No momento em que o candidato selecionar as instituições de ensino que deseja, será alertado caso a insituição tenha um processo seletivo próprio.

As instituições de ensino têm 24 horas a partir da divulgação dos resultados das chamadas para explicar aos estudantes como funciona o processo seletivo e quais os critérios para aprovar ou não um candidato. "Os critérios não podem ser mais rigorosos do que aqueles aplicados aos pré-selecionados em seus processos seletivos regulares. É vedada a cobrança de taxas para realização do processo seletivo próprio", informa o porta do Prouni.

Após a inscrição no Prouni, os candidatos são classificados pelas suas opções, notas do Enem e modalidade de concorrência.