Miguel da Costa Vaz, de cinco anos, é entusiasta do trabalho dos garis desde quando tinha apenas um ano e meio. Na sexta-feira (10), ele recebeu uma participação especial em sua festa de aniversário e ganhou uma miniatura de gari da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg).

Morador do Jardim Curitiba III, Miguel sempre se entusiasmou com a atuação dos garis passando com o caminhão da limpeza na rua em que mora. Sabendo disso, a Comurg encaminhou dois colaboradores do caminhão da coleta à casa do menino, que tem encefalopatia.

“As equipes passam aqui três vezes por semana, e ele sempre sai de casa para ver. Inclusive, os médicos e psicólogos disseram que essa amizade com os garis tem um peso muito grande na recuperação dele”, afirma Eva da Costa, mãe de Miguel.

Claudionor Ferreira e Hélio Aparecida, coletores da Companhia, foram até a casa do menino participar da sua festa de aniversário, temática com as cores da Comurg: laranja e verde. Os servidores presentearam o aniversariante com um boneco miniatura de gari, fabricado na empresa de coleta, e com um bolo temático.

“É gratificante participar desse momento com Miguel. Saber que colaboramos com a saúde dele e a boa evolução de seu tratamento é um verdadeiro presente”, afirmou Hélio Aparecida.

De acordo com os coletores, o carinho que recebem das pessoas nos trabalhos pela cidade, sobretudo das crianças, é recorrente e um grande incentivo para continuarem.

Encefalopatia

Miguel nasceu de 30 semanas, quando foi diagnosticado com encefalopatia, doença hepática que causa deterioração da função cerebral. Desde então, faz tratamento médico, que consiste na eliminação de desencadeadores e de substâncias tóxicas do intestino.

Como sintomas, inicialmente verificam-se pequenas alterações do pensamento lógico, da personalidade e do comportamento. Além das alterações do humor e do discernimento da pessoa, há também um distúrbio dos padrões normais do sono e o desenvolvimento de possíveis transtornos como depressão, ansiedade ou irritabilidade.

Com o tratamento, a encefalopatia hepática quase sempre apresenta graus significativos de melhora. A recuperação total é possível, sobretudo se a encefalopatia foi desencadeada por uma causa passível de controlar.

Leia também: 

Gari se veste de personagens para alegrar crianças e idosos em instituições de Goiânia

No Dia do Gari, crianças da Legião da Boa Vontade entregam cartinhas aos profissionais da Comurg