O custo médio do metro quadrado em Goiás subiu 5,16% em maio. Isso é o que mostra o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado pelo IBGE nesta quinta-feira (09). De acordo com a pesquisa, essa foi a maior alta dos últimos dez anos. Com isso, o índice já acumula 9,39% no ano e 20,74% nos últimos 12 meses. 

No País, os preços da construção subiram 2,17% no mês passado. Para se ter ideia da pressão, em maio do ano passado, o índice foi de 1,78%. De acordo com o chefe do IBGE em Goiás, Edson Roberto Vieira, além do preço dos materiais relacionados com o câmbio, que ainda tem grande influência, o custo da mão de obra teve um aumento importante. 

“Goiás se destaca, quando se olha o indicador em nível nacional, porque tivemos reajustes de várias categorias neste período.” De acordo com o IBGE, o custo da mão de obra teve o primeiro aumento significativo do ano. O valor da construção, por metro quadrado, subiu de R$1.544,87 para R$1.624,64 em maio, sendo R$973,84 relativos aos materiais – aumento de 2,3% – e R$650,80 à mão de obra – alta de 9,8% no mês.

Já o custo nacional passou de R$1.567,76 em abril para R$1.601,76 em maio. “Esse processo também vem do comportamento das pessoas que durante a pandemia realizaram mais reformas ao ficar mais em casa, mas não tivemos arrefecimento dos preços, o que mostra que não vem da demanda mas de uma elevação de custos”, pondera Edson.  

Leia também: 
-Com vendas aquecidas, mercado imobiliário goiano olha para cima
-Bom desempenho do agronegócio aumenta número de imóveis de alto padrão no Sudoeste goiano