O Dia das Mães foi de muita emoção para o meia Élvis, de 31 anos, responsável por dar a primeira vitória ao Goiás nesta Série A do Campeonato Brasileiro. O gol relâmpago anotado pelo meia esmeraldino deixou milhares de mães esmeraldinas felizes e fez a lembrança de Mailde Vieira Marques ecoar no Estádio Antônio Accioly. A vitória sobre o rival Atlético-GO, por 1 a 0, fez o Goiás deixar a zona de rebaixamento da competição.

No mesmo local em que Élvis não pôde atuar no primeiro jogo da final do Campeonato Goiano, devido à morte da mãe do atleta no interior do Paraná, no dia 24 de março, o meia esmeraldino foi decisivo para a vitória neste domingo (8) de Dia das Mães. O gol, aos 48 segundos de jogo, se transformou em vitória após quase 100 minutos em que o Goiás conseguiu segurar o ímpeto adversário.

Leia também:
+ "Clássico não se joga, se ganha", diz Jair Ventura
+ Atuações: avaliação do POPULAR dos jogadores e técnicos do clássico

Na comemoração, Élvis não conteve a emoção e dedicou o gol para a mãe, mostrando o nome Mailde gravado no braço direito em uma tatuagem.

Após balançar as redes com um bonito chute da meia-lua, se aproveitando de um rebote, Élvis correu para uma das câmeras da transmissão da partida para homenagear a mãe pelo gol, que é o terceiro dele em três jogos seguidos contra Avaí, Atlético-MG e Atlético-GO.

Líder e capitão do time, o goleiro Tadeu disse que ficou muito contente com o gol marcado por Élvis e crê que, onde estiver, a mãe do jogador deve estar muito orgulhosa do filho. “Deve ser muito difícil o que ele viveu ali. Arrepia quando fala a palavra mãe. Hoje (domingo), é um dia especialíssimo e o primeiro que ele (Élvis) passa sem a dele. Deve ser muito difícil e só ele sabe o que estava sentindo. A única coisa que poderíamos fazer era abraçá-lo, dar carinho e afeto”, comentou o goleiro Tadeu.

Após a partida, Élvis elogiou a postura aguerrida do Goiás para vencer o clássico. “Nossa equipe merecia essa vitória hoje, a gente se doou e lutou muito. Mesmo com um jogador a menos, a equipe foi guerreira. Conseguimos segurar o resultado diante de uma equipe muito qualificada, que é o Atlético-GO”, frisou o jogador esmeraldino. “Essa vitória vai dar moral para seguir no campeonato. Vamos dedicar aos torcedores e a nós mesmos. Hoje, pudemos dar a resposta”, completou Élvis, à TV Anhanguera - o meia não deu entrevista no estádio.

Do outro lado, o volante Marlon Freitas lamentou o resultado e lembrou que, apesar do resultado negativo, o Atlético-GO teve volume de jogo e poderia ter até vencido a partida.

Leia também:
+ Presidente do Atlético-GO diz que momento é de confiança no trabalho
+ Umberto Louzer reconhece erros no clássico

“Agora, é hora de ter tranquilidade. Quem entende de futebol vai saber separar performance de resultado. Eles conseguiram um gol no início de jogo e clássico é difícil, sobretudo pela proposta de jogo do Goiás, que é uma equipe muito reativa. Tomar um gol no início torna tudo mais difícil ainda. É ter tranquilidade e os pés no chão, com muita humildade, e cada um se doar um pouquinho mais”, frisou Marlon Freitas.

Ao longo da partida, para segurar o ímpeto do Dragão, o Goiás gastou muito tempo com jogo parado e fez com que a torcida atleticana ficasse furiosa, sobretudo com o goleiro Tadeu.

Para o volante Marlon Freitas, o jogo precisava ter sido mais jogado. “O futebol brasileiro sofre muito com isso, tem paralisação por causa do VAR, tem goleiro que fica caído. Estou falando de todas as equipes, não me referindo só ao Goiás. A cera é normal, mas precisa diminuir um pouco, está exagerada”, comentou o volante.