O Palmeiras divulgou, nesta sexta-feira (17), uma nota em que repudia "com veemência manifestações de cunho xenófobo que têm sido constantemente endereçadas à nossa comissão técnica". O clube não citou nomes específicos, mas a nota é publicada um dia depois das críticas do técnico do Atlético-GO, Jorginho, a Abel Ferreira.

Jorginho, após derrota do Dragão para o Palmeiras por 4 a 2 na noite de quinta-feira (16), disse que Abel Ferreira "vem no nosso país e está desrespeitando o nosso país, os nossos árbitros" entre outras declarações em que criticou a postura do treinador português com a arbitragem. Assim, o Palmeiras viu xenofobia nas declarações, mas divulgou uma nota sem citar nomes.

Em entrevista ao Sportv, Jorginho negou ter sido xenófobo e repetiu que as reclamações de Abel Ferreira com a arbitragem são inaceitáveis. "Ontem (quinta), além de tudo o que aconteceu no jogo, tomar quatro gols em sete minutos deixa a gente triste... Mas eu fiz a colocação. Se, por um acaso, passei alguma ideia de que sou xenófobo, não sou. Peço desculpas por esse ato. Minha avó era portuguesa, meu avô era português. Jamais vou tratar um estrangieiro de um jeito diferente. Mas o comportamento dele é inaceitável", disse o técnico do Atlético-GO.

Leia também:
+ Jorginho critica Abel Ferreira: 'deveria ter sido expulso'
+ Técnico do Atlético-GO lamenta apagão contra o Palmeiras

Jorginho disse novamente, referindo-se à comissão técnica do Palmeiras, que "precisam mudar o comportamento deles em campo" e que "é inaceitável, é ridículo". Ele completou que técnicos brasileiros também desrespeitam a arbitragem e que isso precisa mudar. "Sei que treinadores brasileiros muitas vezes desrespeitam, mas é uma coisa que a gente precias mudar completamente. Chega de violencia, de intolerância."