O ano era 2018 e a Red Bull, a multinacional de energéticos, considerava a possibilidade de encerrar sua operação no futebol brasileiro. O Red Bull Brasil, 11 anos após a fundação, parecia não ir a lugar algum. O time não havia conquistado títulos relevantes. Com sede em Campinas, tinha a concorrência de Guarani e Ponte Preta, instituições centenárias da cidade, e nã...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários