O Atlético-GO já vive a maratona de partidas que terá no final deste mês (junho) e em boa parte do seguinte (julho). Na quarta-feira (22), o Dragão empatou de 0 a 0 com o Goiás pela Copa do Brasil e, nos próximos 30 dias, terá de disputar nove jogos por três torneios diferentes (Copa Sul-Americana, Brasileiro e Copa do Brasil). O planejamento da comissão técnica é de que o elenco não tenha uma sobrecarga de treinos.

Fazer o acompanhamento individual de cada atleta e priorizar a recuperação deles antes e depois dos jogos é necessário. O técnico Jorginho disse, após o clássico com o Goiás, que a recomendação será descansar os jogadores, intercalando isso com treinos regenerativos e com bola mais curtos.

Na manhã desta quinta-feira (23), por exemplo, quem participou do clássico fez um trabalho regenerativo na academia, de cerca de 40 minutos, enquanto aqueles atletas que atuaram em parte do jogo ou não entraram em campo fizeram treino contra um time da base. Jogadores como Arthur Henrique e Shaylon, que entraram no jogo de quarta, participaram.

Depois, todos foram liberados para descanso, a não ser os que se recuperam de contusões, como o zagueiro Wanderson, que deve ficar à disposição para o jogo com o Olimpia (Paraguai), na quinta-feira (30).

Adversários do Atlético-GO nos próximos 30 dias

Ceará: 26/6 (fora, em Fortaleza-CE)
Olímpia: 30/6 (fora, em Assunção/Paraguai)
São Paulo: 3/7 (casa, no Antonio Accioly)
Olímpia: 7/7 (casa, no Estádio Serra Dourada)
Santos: 10/7 (fora, em Santos-SP)
Goiás: 13/7 (em Goiânia, mas na Serrinha)
Fortaleza: 16/7 (casa, no Antonio Accioly)
Athletico-PR: 20/7 (fora, em Curitiba)
América-MG: 24/7 (casa, no Antonio Accioly) 

A ordem é jogar nas três competições com a força máxima. O presidente Adson Batista disse, recentemente, que é preciso ousar. Porém, há o cuidado de não desgastar o elenco antes das partidas. Jorginho falou que não é adepto do rodízio nos jogos, mas diz que respeita os limites de cada jogador e os dados da comissão técnica e do departamento médico. É dessa forma que vai conduzir a programação durante a maratona.

Leia também:
+ Atlético-GO tem desfalques e volta de atacante para próximo jogo 
+ Meia vê Dragão forte nas três frentes

“O Atlético-GO vai ter de jogar sempre com a força máxima e, dependendo do desgaste de um atleta ou outro, será feito um revezamento. Mas, a princípio, (a comissão técnica usará) todos os atletas que se encontrarem aptos a jogar. São muitos jogos com pouco tempo de recuperação”, explicou o preparador físico do clube, Luís Fernando Goulart.

Segundo ele, não é momento para intensificar os treinos físicos, mas administrar a base física trabalhada com antecedência. “Temos trabalhado os níveis de força dos atletas para que eles possam esuportar essa maratona de jogos. E, também, fazendo os trabalhos preventivos e individualizados na recuperação de cada um”, acrescentou o preparador físico atleticano.

O atacante Wellington Rato saiu de campo no primeiro tempo do clássico reclamando de dores na coxa. Foi avaliado nesta quinta (23). Por enquanto, não preocupa, mas ficará fora se houver riscos de agravar o problema.