O Atlético-GO voltou a mostrar a versão de “time copeiro” nesta temporada e abriu boa vantagem sobre o Corinthians na partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Em jogo de belos gols, disputado na noite desta quarta-feira (27), no Estádio Antonio Accioly, o Dragão espantou alguns dos fantasmas das últimas apresentações em casa e venceu o Timão, uma das melhores equipes da temporada, por 2 a 0 - gols do camisa 10 Jorginho, na etapa inicial, e um golaço de Léo Pereira, no fim do segundo tempo.

O Dragão poderá perder por até um gol de diferença na definição da vaga em São Paulo, no dia 17 de agosto). Caso passe pelo time corintiano, o Atlético-GO chega pela segunda vez à semifinal da Copa do Brasil, o que ocorreu apenas em 2010.

O resultado alivia um pouco a pressão sobre o técnico Jorginho, ameaçado de perder o cargo por causa dos cinco tropeços seguidos no Brasileirão. Três deles foram no Accioly, nas derrotas para São Paulo, Fortaleza e América-MG.

Jorginho conseguiu ajustar a equipe para deixá-la competitiva, fiel ao estilo de adiantar a marcação sobre o adversário, tocar a bola e mostrar competência para definir as jogadas. Foi premiado por isso. 

Vitorioso em casa, o Atlético-GO continua a sequência de jogos decisivos. No sábado (30), abre o returno da Série A no Maracanã, diante do Flamengo. Depois, segue para Montevidéu, onde inicia a decisão da vaga na Sul-Americana na terça-feira (2), diante do Nacional e do astro Luis Suárez, em partida histórica para os dois clubes.

Leia também:
Torcida aprova Atlético-GO x Corinthians no Accioly: "aqui é nossa casa"

ela segunda vez, Atlético-GO e Corinthians decidem vaga na Copa do Brasil. Ano passado, o Dragão foi superior e eliminou o Timão na 3ª fase (2 a 0 e 0 a 0), em momento de ajustes do time paulista sob comando do técnico Sylvinho.

Os dois clubes estão disputando três torneios paralelos, com a diferença de que a equipe corintiana está nas quartas de final da Copa Libertadores, enquanto o time goiano é uma agradável surpresa na Sul-Americana. O ponto de desequilíbrio é a Série A: o rubro-negro é antepenúltimo colocado, distante do alvinegro, vice-líder.

O JOGO

Pressionado no cargo, o técnico Jorginho fez cinco mudanças no Atlético-GO em relação à formação derrotada pelo América-MG no domingo (25). O Dragão voltou a ser a equipe forte na marcação, avançou as linhas para pressionar o Corinthians no campo defensivo, sem dar espaços e dificultando a saída de bola.

Vítor Pereira apostou em três volantes jovens no meio-campo, sem abdicar de nomes experientes, como Fagner, Gil, Willian e o destaque deles, o goleiro Cássio. O camisa 12 chegou à marca de 603 jogos no clube.

Cássio mostrou efetividade e segurança. Fez duas defesas difíceis na etapa inicial, que teve predomínio atleticano. As transições do lateral Dudu e os passes de Marlon Freitas voltaram a funcionar. Ambos têm entrosamento desde 2020 e sabem como trabalhar a bola.

A primeira chance passou por Marlon Freitas. Jorginho deixou Ricardinho em boa condição para a conclusão, mas Cássio fez boa defesa. Na outra oportunidade, Wellington Rato apareceu invertido e chutou. O goleiro corintiano se esticou para tirar com as pontas dos dedos.

A jogada, ensaiada e repetida entre o capitão e o lateral direito, funcionou com perfeição aos 26 minutos. Marlon Freitas encontrou Dudu nas costas do marcador. O toque para o meio da área chegou até Jorginho. Chute rasteiro, sem força, mas que tocou em Raul Gustavo e tirou Cássio do lance - Atlético-GO 1 a 0.

A jogada foi revisada pelo VAR, por causa do posicionamento de Dudu, mas o gol foi confirmado. Não houve impedimento.

O Corinthians também adiantou as linhas, mas o sistema defensivo atleticano conseguiu segurar a vantagem.

Vítor Pereira decidiu tornar o Corinthians mais rápido ao trocar Du Queiroz e Roger Guedes por Giuliano e pelo goiano Adson no segundo tempo. Mas a chance de ampliar caiu novamente no pé de Jorginho, após lance em velocidade de Peglow. O camisa 10 colocou rasteiro, rente à trave na melhor chance do Dragão para ampliar.

Outro momento perigoso foi a chegada atrasada de Wellington Rato. Mas o criticado Léo Pereira entrou no lugar de Rato para marcar um golaço no final. Ao receber o passe de Luiz Fernando, Léo Pereira ajeitou, bateu colocado e viu a bola cair no ângulo - Atlético-GO 2 a 0, aos 42 minutos.

SE AVANÇAR

Se o Atlético-GO eliminar o Corinthians e avançar, pega Fortaleza ou Fluminense, que começam a decidir seu duelo nesta quinta-feira (28). Se chegar à semifinal, o Atlético-GO iguala sua melhor participação na história da Copa do Brasil - em 2010, foi eliminado pelo Vitória na semi.

Os classificados às semifinais vão receber premiação de R$ 8 milhões. Até agora, em cinco fases, o Atlético-GO já acumula R$ 11,08 milhões em cotas de participação.

FIM DE SEMANA DE BRASILEIRÃO

No fim de semana, o Atlético-GO se volta para o Campeonato Brasileiro, competição em que vive situação ruim até agora. O clube rubro-negro está na zona de rebaixamento, com 17 pontos, em 18º lugar, a 4 pontos do primeiro clube fora do Z4, que é o Avaí, com 21 pontos.

FICHA TÉCNICA

Atlético-GO: Ronaldo; Dudu (Hayner), Wanderson, Edson, Jefferson; Gabriel Baralhas, Marlon Freitas, Jorginho (Shaylon); Wellington Rato (Léo Pereira), Ricardinho (Luiz Fernando), João Peglow (Airton). Técnico: Jorginho

Corinthians: Cássio; Fagner (Rafael Ramos), Gil, Raul Gustavo (Balbuena), Lucas Piton; Cantillo (Fausto Vera), Du Queiroz (Giuliano), Maycon; Willian, Roger Guedes (Adson), Yuri Alberto. Técnico: Vítor Pereira

Local: Estádio Antonio Aciolly (Goiânia-GO). Árbitro: Marcelo de Lima Henrique/CE. Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa/RJ (Fifa) e Nailton Júnior de Sousa Oliveira/CE. AVAR: Adriano Milczvski/PR. Gols: Jorginho aos 22 minutos do 1º tempo; Léo Pereira aos 42 minutos do 2º tempo. Público: 12.089 pessoas. Renda: R$ 1.031.825,00