No duelo com toque de Portugal, melhor para Luís Castro sobre Paulo Sousa. Na manhã deste domingo (8), o Botafogo venceu o Flamengo no Mané Garrincha, pelo Campeonato Brasileiro, por 1 a 0. O placar foi construído com gol de Erison, no começo do segundo tempo. A derrota acontece em meio a um momento conturbado na Gávea, após as declarações do ex-técnico Jorge Jesus publicadas pelo colunista do UOL, Renato Maurício Prado, na quinta-feira.

Com o resultado, o Alvinegro foi a oito pontos e encostou no primeiro pelotão da competição. O Rubro-Negro, por outro lado, permanece com cinco e vê a zona de rebaixamento se aproximar no retrovisor.

Veja também:
+ A tabela do Brasileirão
+ Atlético-GO x Goiás: tudo sobre o clássico goiano na Série A

Na próxima rodada, o time da Gávea encara o Ceará, no Castelão, enquanto o Glorioso recebe o Fortaleza no Nilton Santos.

O Flamengo volta a campo na quarta-feira, contra o Altos, em Volta Redonda, pela Copa do Brasil. O Botafogo, na quinta-feira, encara o Ceilândia, no Nilton Santos, pela mesma competição.

BRASÍLIA

O jogo aconteceu no Mané Garrincha porque o Maracanã ficará fechado por um período de 11 dias. Na última quinta-feira, foi iniciado o plantio de sementes de grama de inverno, o que impossibilita a utilização do estádio, atualmente administrado por Flamengo e Fluminense. Uma troca no mando de campo chegou a ser conversada, mas o Botafogo não topou, e o duelo foi para Brasília.

BOLSONARO NO ESTÁDIO

O presidente Jair Bolsonaro (PL) esteve presente ao Mané Garricha nesta manhã, para acompanhar o clássico. O vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos-RS) também compareceu ao estádio.

SEMANA CONTURBADA

O Flamengo chegou para este jogo após dias tumultuados. Colunista do UOL Esporte, Renato Maurício Prado publicou reportagem bombástica na qual que Jorge Jesus disse querer voltar ao Rubro-Negro e aguardar até o próximo dia 20. As falas repercutiram mal na Gávea e mexeram com o ambiente, em meio às críticas ao técnico Paulo Sousa.

QUEM FOI BEM

Bruno Henrique foi peça importante na parte ofensiva do Flamengo. Boa parte das jogadas passou pelo pé dele, que, com velocidade e ajudando na pressão na saída de bola, deu trabalho à zaga adversária. Erison foi um dos destaques do Botafogo. Referência no ataque, o jogador, quando teve a bola, foi quem mais criou chances.

QUEM FOI MAL

No lado do Flamengo, Thiago Maia teve uma atuação um pouco mais burocrática e não apareceu como era imaginado. Pelo Botafogo, Saravia não esteve bem. O jogador não conseguiu encaixar na marcação e o Rubro-Negro aproveitou.

DESEMPENHO DO FLAMENGO

Com desfalques, o Flamengo entrou em campo com Arão na zaga e uma dupla de volantes formada por Andreas Pereira e Thiago Maia. O time implementou uma marcação pressão e dificultou bastante a saída de bola do Botafogo. Aos poucos, conseguiu ganhar campo e se mostrou melhor no primeiro tempo, criando as melhores oportunidades. Gabigol chegou a balançar a rede, mas o gol foi anulado após o VAR apontar impedimento.

No segundo tempo, a equipe cometeu uma falha, deu espaço e viu Erison abrir o placar. Em desvantagem, o time buscou implantar um ritmo mais forte, em busca do empate.

DESEMPENHO DO BOTAFOGO

O Botafogo buscou ter mais a posse de bola, mas encontrou dificuldades na saída, diante da marcação adiantada do Flamengo, e foi inferior no primeiro tempo. Quando conseguiu encaixar a troca de passes, chegou ao campo de ataque, mas falhava no momento de decidir a jogada.

Na volta do intervalo, a equipe de Luís Castro conseguiu achar espaço entre os setores do Fla, e Erison, que era o jogador mais perigoso, abriu o placar. A partir daí, o jogo ficou mais equilibrado. Porém, pouco depois, o time se mostrou um pouco mais recuado e voltando a cometer erros no meio.

CRONOLOGIA

O duelo começou movimentado. O Flamengo tentava pressionar a saída de bola do Botafogo, que investia em trocar passes e acelerar pelas alas. Desta forma, os dois times foram achando espaços e buscando ganhar terreno.

NA TRAVE

O time rubro-negro quase abriu o placar com Arão, que recebeu cruzamento de Arrascaeta e, de cabeça, mandou na trave.

QUASE

Gabigol esteve próximo de balançar a rede. Ayrton Lucas, que havia acabado de entrar na vaga de Filipe Luís, achou Gabigol no meio da zaga adversária. O camisa 9 recebeu, tirou de Gatito e bateu, mas Cuesta apareceu para tirar.

ANULADO

O Flamengo chegou a balançar a rede, com Gabigol, de cabeça, após bonito passe de Everton Ribeiro. Porém, o VAR apontou posição irregular do camisa 9.

'EL TORO' DEIXA O DELE

O segundo tempo indicava um cenário parecido, com o Fla pressionando a saída do adversário. Porém, logo no início, o Botafogo conseguiu achar espaço e abrir o placar. Após lançamento de Diego Gonçalves, Arão não conseguiu cortar e a bola ficou com Erison. O atacante passou por David Luiz e bateu forte. Hugo ainda foi na bola, mas não conseguiu evitar que balançasse a rede.

LÁ E CÁ

O Flamengo tentou empurrar o Botafogo para conseguir o empate, e finalizou algumas vezes ao gol de Gatito. O Alvinegro, por sua vez, permanecia na aposta das saídas em velocidade. Paulo Sousa e Luís Castro fizeram mudanças para tentar dar um gás novo às respectivas equipes.

GATITO DEFENDE

Uma das alterações de Paulo Sousa foi a entrada de Lázaro na vaga de Andreas. E logo no primeiro lance, o jovem rubro-negro foi para cima e bateu colocado, obrigando Gatito a fazer boa defesa.

FIM DE JOGO CORRIDO

Nos minutos finais, o jogo ficou ainda mais agitado. O Botafogo quase fez o segundo com Diego Gonçalves, que finalizou na área e Hugo fez a defesa. Depois, foi a vez do Flamengo, em contra-ataque que ficou nos pés de Lázaro. Ele finalizou e Gatito pegou.

Nos acréscimos, o Flamengo tentou o empate como pôde. Gabigol, na área, parou em Gatito. Depois, David Luiz perdeu boa oportunidade.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO: Hugo Souza; Isla (Rodinei), Willian Arão, David Luiz e Filipe Luís (Ayrton Lucas); Andreas Pereira (Lázaro), Thiago Maia (João Gomes), Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. Técnico: Paulo Sousa

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Saravia (Hugo), Kanu, Víctor Cuesta e Daniel Borges; Luís Oyama, Tchê Tchê e Lucas Fernandes (Del Piage); Gustavo Sauer (Diego Gonçalves), Victor Sá e Erison (Matheus Nascimento). Técnico: Luís Castro

Estádio: Mané Garrincha, em Brasília

Árbitro: Anderson Daronco (RS)

Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Rafael da Silva Alves (RS)

VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Cartões amarelos: Andreas Pereira (FLA); Saravia, Oyama, Luís Castro (técnico), Daniel Borges (BOT)

Gols: Erison, do Botafogo, aos 5'/2ºT