Se no Campeonato Goiano o Atlético-GO leva vantagem sobre o Goiás nos jogos recentes, o alviverde confirma que no Campeonato Brasileiro tem força. O meia Élvis, camisa 10 do Goiás, aproveitou muito bem um rebote e fez, aos 48 segundos, o gol da primeira vitória do time alviverde na Série A, por 1 a 0, sobre o Dragão.

A vitória esmeraldina deixa o Goiás com cinco pontos e mantém o Dragão no grupo dos últimos colocados (Z4), com três pontos e pressionado. Além disso, reabilita o clube da Serrinha, que não vencia há oito jogos, incluindo as derrotas na final do Goianão, para o Dragão.

Veja tabela:
+ Classificação do Campeonato Brasileiro

Mesmo com um jogador a menos desde os 25 minutos do primeiro tempo - o volante Henrique Lordelo foi expulso -, a equipe esmeraldina foi valente, aplicada, determinada e teve eficiência para marcar o único gol da vitória no clássico antes do primeiro minuto de jogo.

No Brasileiro, incluindo as Séries A e B, o Goiás chega a cinco vitórias seguidas: 3 a 1 e 2 a 1 (2018), 2 a 0 e 1 a 0 (2020) e novamente 1 a 0, em 2022. Batido no clássico e no Z4, o time atleticano foi vaiado pela torcida no final da partida, mesmo que tenha pressionado em busca do empate. O técnico Jair Ventura, do alviverde, aos poucos vai ajustando o time na Série A.

No Dragão, a escalação do lateral direito Dudu chegou a ser divulgada pela assessoria de imprensa do clube, mas o jogador foi vetado no aquecimento, no teste do vestiário. Hayner herdou a vaga e, nas outras posições, o técnico Umberto Louzer manteve a base dos últimos jogos.

Porém, ainda no primeiro tempo, mudou a forma de o time jogar, após a expulsão do volante Henrique Lordelo, do alviverde. Louzer trocou o volante Gabriel Baralhas pelo meia-atacante Luiz Fernando, tornando a equipe mais ofensiva.

O Goiás não pôde escalar o zagueiro Sidnei, com problemas físicos. O técnico Jair Ventura decidiu manter a formação com três zagueiros e posicionou Apodi mais aberto pela direita, à  vontade. Parte da estratégia teve de ser refeita após o cartão vermelho para Lordelo. O alviverde recuou ainda mais.

A necessidade de vitória se transformou em vantagem no placar antes do primeiro minuto, no gol relâmpago. A zaga do Dragão afastou cobrança lateral, mas Elvis, posicionado e  com a pontaria calibrada, chutou de primeira, no canto. Belo gol aos 40 segundos - Goiás 1 a 0, para silenciar a torcida atleticana. Elvis dedicou o lance à memória da mãe, Mailde  Vieira Marques, que morreu no dia 25 de março em decorrência das complicações da Covid 19.

Henrique Lordelo, que tinha cartão amarelo, fez falta mais dura em Jorginho, foi expulso.O clássico ficou mais aberto e ofensivo, pois o técnico do Atlético-GO adiantou o time com Luiz Fernando, a partir dos 30 minutos. As chances foram surgindo, mas desperdiçadas nas conclusões de Wellington Rato e num lance individual em que Jorginho limpou a marcação de dois rivais e chutou forte. Defesa de Tadeu. Em outro momento de sufocos, a bola passou pela área e Diego, antes da conclusão de Shaylon, evitou o empate em cima da linha do gol.

O Goiás poderia ampliar em dois contra-ataques. No melhor deles, Dadá Belmonte aproveitou falha de Wanderson e tocou, mas Ronaldo salvou com a perna. Na outra jogada, Apodi não teve firmeza na conclusão ao limpar o lance. Autor do gol, Elvis foi substituído pelo volante Matheus Sales. No Dragão, mudança para pressionar ainda mais. O atacante Diego Churin entrou no lugar do lateral Arthur Henrique. Mais oportunidades criadas, como no cabeceio de Churin, livre, por cima. Ou no rebote que Airton chutou rente à trave de Tadeu.

Umberto Louzer fez as cinco mudanças em busca da formação ideal, mas o Dragão errou no que sabe fazer com precisão - tocar a bola. O time atleticano abusou dos cruzamentos altos e não soube furar a retranca adversária. Recuado, o Goiás sustentou a vantagem, mesmo que a pressão rubro-negra fosse constante e parasse na defesa difícil de Tadeu, aos 48 minutos. Vitória da aplicação tática do Goiás no clássico - 1 a 0.          


Atlético-GO: 0
Ronaldo; Hayner (Edson Fernando), Wanderson, Ramon Menezes, Arthur Henrique (Diego Churin); Gabriel Baralhas (Luiz Fernando), Marlon Freitas, Jorginho; Shaylon, Wellington Rato (Airton), Léo Pereira (Jefferson). Técnico: Umberto Louzer

Goiás: 1
Tadeu; Sidimar, Reynaldo César, Caetano; Diego (Fellipe Bastos), Henrique Lordelo, Elvis (Matheus Sales), Danilo Barcelos; Apodi (Maguinho), Pedro Raul (Nicolas) e Dadá Belmonte (Auremir). Técnico: Jair Ventura

Local: Estádio Antonio Accioly (Goiânia-GO). Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães/RJ (Fifa). Assistentes: Michael Correia/RJ e Thiago Rosa de Oliveira/RJ. Arbitro de Vídeo: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro/RN. AVAR: Flávio Gomes Barroca/RN. Gols: Elvis aos 40 segundos do 1º tempo. Expulsão: Henrique Lordelo (1º tempo). Público total: 5.431 pessoas. Renda: R$ 65.675,00.