O meia Marcos Vinícius Alves Barreira é uma das apostas do Vila Nova na busca pela permanência na Série B. Mas por esse nome quase ninguém vai saber quem é um dos jovens colorados que passou a ganhar chances no time titular do Tigre. Conhecido como Romário, o jogador participou, pela primeira vez, diretamente de um gol da equipe no empate por 1 a 1 com o Novorizontino na última rodada da Segundona.

Autor da assistência para o gol marcado pelo atacante Neto Pessoa, Romário ganhou o apelido ainda quando era criança. Mas não há relação com o baixinho Romário. Aos 10 anos, quando o futebol era uma brincadeira no bairro Balneário Meia Ponte, em Goiânia, o meia tinha o cabelo parecido com Romarinho, ex-atacante do Corinthians.

Na época, Romarinho se tornou destaque por ter sido decisivo para o time paulista na conquista da Copa Libertadores da América, com gol de empate (1 a 1) marcado por ele diante o Boca Juniors no jogo de ida da final do torneio.

Leia também
Confira como comprar seu ingresso o duelo contra o Ituano
- Zagueiro confia em sequência de evolução do Vila Nova

“Até então eu não sabia se era por causa do Romário, o baixinho, ou se foi por causa do Romário, que jogou no Corinthians, por estar em alta. Fiquei sem entender, eu era novo. Aí eu liguei os pontos por causa do meu cabelo, que era grande, estilo parecido com o dele. Acabou que ficou assim e o apelido pegou”, contou Romário, que é conhecido no Vila Nova desta maneira, apesar de se identificar nas redes sociais como Marcos Vinicius.

No futebol, sem semelhanças, já que desde jovem Romário atua no meio-campo. Ele, inclusive, passou a ser companheiro, lado a lado, do volante Ralf. Em 2012, o experiente jogador integrou o time do Corinthians campeão da Libertadores ao lado de Romarinho.

“Ele nem sabe disso (origem do apelido), se souber vai ser só a zoação”, brincou, aos risos, o jovem colorado, que se viu no companheiro de posição um ótimo conselheiro.

“Como jogamos lado a lado, sempre converso com ele. O Ralf é um cara que já me deu muitos conselhos, ele fala muito sobre estar tranquilo e fazer o meu jogo”, salientou Romário.

No Vila Nova desde 2020, o meia passou por alguns períodos de empréstimo antes de firmar no clube colorado. Em 2021 foi cedido ao time Sub-20 do Atlético-GO, no mesmo ano atuou pela mesma categoria na base do Athletico-PR. Pelo Furacão, jogou a Copinha daquele ano, antes de retornar ao Tigre.

Romário foi um dos destaques do Vila Nova na campanha do título goiano no Sub-20. Após a conclusão do torneio, se firmou na equipe profissional e ganhou chances como titular sob comando do técnico Allan Aal.

O meia, que tem jogado como segundo volante e intercala movimentos com Arthur Rezende, mas quase sempre participa dos lances de criação ofensiva do Tigre. Romário foi titular contra Sport, Vasco e Novorizontino. Antes, havia entrado contra a Ponte Preta, jogo que marcou sua estreia como profissional.

“Eu não esperava ganhar chances (depois do Goiano Sub-20). Está sendo ótimo meu momento. Eu não acreditei que seria titular (contra o Sport). Nós viajamos depois do jogo contra o CSA, no treino no CT do Retrô ele (Allan Aal) me colocou no time. Eu não acredito na hora, mas colocou, pude jogar bem e vou seguir buscando meu espaço”, avisou Romário, que deve seguir como titular no Vila Nova na próxima sexta-feira (5).

O time colorado tem nova chance para sair da lanterna da Série B diante do Ituano, pela 22ª rodada. O jogo será disputado no Estádio Serra Dourada, a partir das 19 horas.