O Atlético-GO se vê dividido em três frentes - Copa do Brasil, Série A e Sul-Americana - e trava disputa contra a oscilação nessas competições. Na noite desta quarta-feira (10), às 22 horas, o Dragão vira a chave e se volta para a definição de vaga na Copa do Brasil, em que decide a sorte e a passagem às oitavas de final contra o Cuiabá-MT, na Arena Pantanal, na capital mato-grossense.

(Confira as prováveis escalações, escala de arbitragem e onde assistir no final deste texto)

Dois dos representantes do Centro-Oeste também no Brasileirão, os dois times empataram na ida, por 1 a 1, Aliás, houve outro empate por 1 a 1, mas em jogo válido pela Série A nacional. Caso se repita o mesmo placar desses últimos confrontos ou outra igualdade no placar, a classificação se define nos pênaltis na primeira vez que ambos brigam por vaga na Copa do Brasil.

O Dragão espera passar de fase para igualar as últimas participações do clube no torneio, em que chegou às oitavas de final (2020 e 2021). A classificação garante também ao vencedor mais R$ 3 milhões de cota de participação e espanta um princípio de crise técnica nos dois lados, pois não se deram bem na Série A no domingo (8).

Leia também
+ Goleiro do Atlético-GO espera vitória e atuação convincente contra o Cuiabá
+ Dragão tem desfalques e dúvidas para decisão na Copa do Brasil

O Atlético-GO perdeu do Goiás o clássico goiano (1 a 0) e se vê entre os quatro últimos (Z4), enquanto o Cuiabá-MT vem de goleada sofrida 4 a 1 para o Santos, apesar de fazer campanha melhor que o Dragão.

A classificação resolve parte dos problemas atleticanos, pois o clube poderá deixar de lado a preocupação com a Copa do Brasil, temporariamente, para se dedicar até o final de maio aos jogos da Série A, em que está no Z4, e da Sul-Americana, na qual lidera o Grupo F e briga pela vaga com a LDU (Equador) faltando duas rodadas.

Até agora, em 16 participações na Copa do Brasil, poucas vezes o Dragão decidiu nas penalidades. Nas estatísticas desde a estreia (1989), o Atlético-GO teve decisões nos pênaltis apenas em cinco ocasiões: Fortaleza (2007), Grêmio (2008), Ponte Preta (2012), Santa Cruz (2020), todas na 2ª fase, e Palmeiras (2010), nas quartas de final. Nelas, teve retrospecto muito bom, pois só foi eliminado pela Ponte Preta (2012), por 4 a 3.

Caso seja necessário decidir nos pênaltis, o time garante estar bem preparado, pois treinou cobranças para as fases decisivas do Goianão. “Nós treinamos pênaltis. Com o pessoal da análise (de desempenho), conseguimos estatísticas sobre qual lado o batedor bate melhor”, disse o goleiro Ronaldo, titular há cinco jogos, válidos pela Sul-Americana e na Série A. Será o primeiro jogo do goleiro pela Copa do Brasil atuando pelo Dragão.

“Chegaremos preparados porque sempre treinamos (pênaltis), no próprio Campeonato Goiano tinha essa possibilidade de pênaltis. Se for para as penalidades, vamos fazer um grande trabalho”, previu Ronaldo, que ganhou a posição após o empate com o Cuiabá, na ida, por causa de falha de Luan Polli no gol de empate adversário.

O técnico Umberto Louzer não terá o lateral direito Dudu, contundido, e o atacante Diego Churin, que já atuou pelo Grêmio na 1ª fase da Copa do Brasil. Na lateral, Hayner é o mais cotado para atuar. O treinador pode fazer mudanças em outras posições, como na zaga, na lateral esquerda e no ataque. Luiz Fernando novamente é opção para o ataque.

No Cuiabá, o técnico Pintado se vê pressionado pelos últimos resultados. O Dourado vem de empate com o Dragão, perdeu dois jogos na Sul-Americana e está eliminado, além de ter sido goleado pelo Santos (4 a 1). Nos reveses, o time cuiabano também falhou nas bolas pelo alto, assim como o Atlético-GO tem falhado neste fundamento.

FICHA TÉCNICA
Copa do Brasil - 3ª fase - Jogo de volta
Jogo: Cuiabá x Atlético-GO
Local: Arena Pantanal (Cuiabá/MT)
Data: 11/05/2022
Horário: 22 horas
Transmissão: Premiere e Sportv

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira/SP (Fifa).
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli/SP e Alex Ang Ribeiro/SP

CUIABÁ: Walter; Daniel Guedes, Marllon, Alan Empereur, Uendel; Marcão Silva, Pepê, Rodriguinho; Felipe Marques, Elton, Alesson (Jonathan Cafu). Técnico: Pintado.

ATLÉTICO-GO: Ronaldo; Hayner, Wanderson, Ramon Menezes e Jefferson (Arthur Henrique); Gabriel Baralhas, Marlon Freitas e Jorginho; Shaylon, Wellington Rato e Léo Pereira (Luiz Fernando). Técnico: Umberto Louzer.