O Goiás se posicionou favorável à criação de uma liga de clubes para a gestão do futebol brasileiro, mas não aderiu à proposta encabeçada por Flamengo, Palmeiras, São Paulo, Santos, Corinthians e RB Bragantino. O clube esmeraldino apoia o grupo denominado "Futebol Forte", que possui dez representantes na Série A do Campeonato Brasileiro.

O clube esmeraldino esteve na reunião que apresentou o estatuto da Liga dos Clubes Brasileiros, realizadas nesta terça-feira (3), em São Paulo. A diretoria foi representada pelo vice-presidente de futebol Harlei Menezes, que explicou que não houve definição após a reunião em São Paulo e que o martelo deverá ser batido no dia 12 de maio.

Em fevereiro, o Goiás aderiu ao grupo "Futebol Forte" que ainda conta com América-MG, Atlético-GO, Athletico-PR, Avaí, Ceará, Coritiba, Cuiabá, Fortaleza e Juventude, todos eles da Série A do Campeonato Brasileiro.

Este grupo defende uma divisão mais igualitária das receitas advindas das cotas de transmissão dos jogos com 50% do montante sendo divididos igualmente entre os clubes e com 25% de acordo com o desempenho esportivo e o outro quarto com critérios de engajamento. O Goiás defende esta posição e deve votar com a maioria deste grupo.