Após a derrota do Atlético-GO para o Palmeiras por 4 a 2, no Allianz Parque, nesta quinta-feira (16), o técnico do Dragão, Jorginho, criticou duramente o treinador adversário, Abel Ferreira. A crítica foi por causa da conduta do português com a arbitragem.

As críticas de Jorginho ocorreram em entrevista após o jogo porque o técnico do Atlético-GO quis explicar o que aconteceu aos 34 minutos do segundo tempo, quando o árbitro Ramon Abatti Abel, de Santa Catarina, foi ao banco de reservas do Dragão e deu cartão amarelo ao auxiliar de Jorginho, Joelton Urtiga.

"Lamento muito um acontecimento, uma discussão minha, do meu pessoal, com o pessoal do Palmeiras. Sou um cara muito respeitador, principalmente com o árbitro. Eles estão faltando com o respeito. Chamou de cego, bateu palma para o árbitro. Meu auxiliar tomou cartão, o deles tomou, mas quem deveria ter sido expulso era o Abel (Ferreira)", disparou Jorginho.

Leia também:
+ Atlético-GO sofre apagão e é derrotado, de virada, pelo Palmeiras
+ Jorginho sobre derrota para o líder do Brasileiro: "vai doer durante muito tempo"

Jorginhou elogiou o trabalho de Abel à frente do Palmeiras, mas tratou como desrespeitosas as atitudes do português em relação à arbitragem.

"Faz um grande trabalho, mas o respeito tem que existir comigo, com minha equipe, com o árbitro. Quero deixar claro, pedíamos uma punição severa e não houve por parte da arbitragem porque o quarto árbitro não relatou para o árbitro o que o Abel fez. Não pode acontecer falta de respeito com o árbitro e consequentemente com a minha equipe", disse o treinador do Dragão.

O treinador seguiu com críticas ao colega de trabalho. "Bater palma para o árbitro, está querendo sacanear ele (sic). Vem no nosso país e está desrespeitando o nosso país, os nossos árbitros. Vai ficar como choro do perdedor, mas quero deixar meu protesto aqui", concluiu.