O meia Jorginho foi homenageado nesta sexta-feira (17) pelo Atlético-GO. O jogador recebeu do presidente do clube, Adson Batista, a camisa 300 em alusão à marca alcançada na vitória sobre o Fluminense (2 a 0). "É um sentimento de felicidade. É para poucos jogar 300 jogos. Eu me sinto feliz aqui. Nasci para jogar no Atlético-GO", disse o meia, projetando brigar por mais títulos no clube e, quem sabe, igualar o recorde do ex-goleiro Márcio, de 518 atuações na equipe atleticana.

No Dragão, Jorginho tem quatro títulos do Goianão (2014, 2019, 2020 e 2022), um da Série B (2016), além do acesso à Série A (2019). Na atual temporada, o clube disputa a Série A, Copa do Brasil e a Sul-Americana.

Leia também:
+ Palmeiras repudia xenofobia; Jorginho diz não ser xenófobo
+ Atlético-GO sofre apagão e é derrotado, de virada, pelo Palmeiras

"Estamos vivendo aqui duas competições grandes, teremos um jogo histórico (com o Goiás pelas oitavas de final da Copa do Brasil). Temos um pensamento grande. Temos de sonhar também em conseguir mais títulos. Espero conquistar um título de expressão  e estamos no caminho certo", destacou o camisa 10 atleticano.

Jorginho ressalta o orgulho de também ser goiano e vestir a camisa rubro-negra. Ele está no clube desde o início de 2013. Já saiu quatro vezes, mas o retorno sempre foi tratado como a volta do filho à casa. Adson Batista ressaltou que Jorginho "nasceu para jogar no Atlético-GO" e que se trata de um "profissional na acepção da palavra, não tem vícios e se adaptou muito bem ao Atlético-GO."

Como a delegação estava retornando de viagem de quase uma semana do giro Rio-São Paulo,  onde o Dragão venceu o Fluminense (2 a 0) e perdeu do Palmeiras (4 a 2), Adson Batista prometeu também homenagear o jogador com uma placa. Jorginho é uma das esperanças do time atleticano na Série A, em que o Dragão busca a reabilitação neste domingo (19), diante do Juventude-RS, no Estádio Antonio Accioly, a partir das 18 horas.