O Palmeiras é favorito à conquista de mais uma vitória em casa e ao título da Série A do Brasileiro. Desafiando este prognóstico, a fase positiva da equipe paulista e a presença da torcida alviverde no início da noite desta quinta-feira (16) no Allianz Parque, em São Paulo, às 18 horas, o Atlético-GO pretende provar que não é só mais um convidado na moderna arena palmeirense.

O Dragão planeja conquistar na capital paulista pelo menos um empate, mas acredita poder até vencer o time que começou a rodada como líder da Série A, com 22 pontos. Missão difícil, mas não impossível. É nesse tipo de cenário que a equipe rubro-negra gosta de jogar e costuma surpreender.

(No fim deste texto, veja escalações prováveis, como assistir, arbitragem)

A especialidade do time da casa tem sido buscar as vitórias dentro e fora de casa durante a Série A e as copas do Brasil e da Libertadores. No Paulistão, se comportou assim e foi o campeão, como havia sido na Recopa Sul-Americana. As taças foram conquistadas sobre São Paulo e Athletico-PR, respectivamente, no Allianz Parque. Na atual Série A, perdeu só uma vez, na estreia, para o Ceará (3 a 2), no dia 9 de abril. Por isso, está invicto há 17 partidas, 11 delas pelo Brasileirão.

O Atlético-GO tem 13 pontos. O Dragão deixou Goiânia há quase uma semana projetando conquistar pelo menos quatro pontos no giro contra Fluminense e Palmeiras. Três deles já foram obtidos, pois o time venceu o Fluminense por 2 a 0, no Maracanã, diante de 25.745 pagantes no histórico estádio. Em São Paulo, poderá encarar o adversário com pelo menos 40 mil vozes empurrando a equipe.

Leia também:
+ Quem joga: veja escalação do Atlético-GO para pegar o Palmeiras
+ Técnico do Atlético-GO sobre desafiar Palmeiras: 'não é imbatível'

O técnico Jorginho foi quem estipulou a projeção ousada de quatro pontos. Segundo ele, o time atleticano soube jogar em linha alta de marcação, trabalhou a posse de bola, não deu muitos espaços ao tricolor carioca e foi letal quando teve as chances de gol, apesar de ter desperdiçado oportunidades. Aos poucos, Jorginho vai consolidando no Dragão o estilo competitivo de outros anos na segunda passagem dele pelo clube.

Nesta quinta-feira (16), Jorginho completa um mês de Atlético-GO. Contratado no dia 16 de maio, o treinador comandou a equipe durante seis partidas - ganhou três vezes (sobre Coritiba, Avaí-SC e Fluminense), obteve dois empates fora de casa (com a LDU-Equador e Inter-RS) e perdeu um jogo (do Corinthians, que começou a rodada como vice-líder da Série A).

Jorginho e o auxiliar Joelton Urtiga voltaram ao Dragão com o desafio de deixá-lo numa posição estável na elite nacional e em boas condições de chegar o mais longe possível na Copa do Brasil (decide vaga às quartas de final com o Goiás) e Sul-Americana (jogará com o Olímpia, do Paraguai, nas oitavas de final). Jorginho deve manter a equipe que começou o jogo contra o Fluminense no Rio.

O Palmeiras é comandado pelo português Abel Ferreira. Não terá o meia Raphael Veiga, nome reivindicado por parte da imprensa brasileira para ir ao Mundial do Catar. O lateral Marcos Rocha também deve ficar fora. Os dois estão contundidos. Porém, o time ainda tem o atacante goiano Dudu, o volante Danilo, o atacante Rony, o meia Gustavo Scarpa, o goleiro Weverton e o zagueiro paraguaio Gustavo Gómez como estrelas de primeira grandeza.

Camisa 10 completa 300 partidas

O outro Jorginho do Atlético-GO, jogador e camisa 10, completou diante do Fluminense a histórica marca de 300 atuações pelo clube. A diretoria atleticana deve fazer homenagem ao meia - são cogitados um vídeo e uma camisa alusiva à marca, como ocorreu com o volante e capitão Marlon Freitas, que foi homenageado por marca centenária de jogos no Dragão com uma camisa.

Jorginho se tornou um dos atletas com mais atuações na fase de reconstrução do Atlético-GO, ao lado de nomes como Márcio, Robston, Pituca, Juninho e Pedro Bambu.

Jorginho tem 31 anos, está na quarta passagem pelo clube. Após se desvincular do Vila Nova em 2013, chegou ao Dragão para o primeiro ciclo, até ser emprestado para o Seongnam (Coreia do Sul) em 2015. Retornou naquele ano, foi campeão da Série B 2016, rebaixado à Série B no ano seguinte (2017) e seguiu para o futebol da Arábia Saudita (Al Qadisiyah, em 2018). Na volta, obteve o acesso à Série A em 2019, mas, após se desentender com o técnico Vagner Mancini, saiu em setembro de 2020 para curtas passagens por Athletico-PR e Ceará.

Jorginho é um dos poucos atletas do elenco nascido em Goiás, ao lado do lateral Jefferson. Pediu para voltar e foi atendido pelo presidente do Atlético-GO, Adson Batista, no início da temporada.

Tem quatro títulos do Goianão (2014, 2019, 2020 e 2022), o acesso à Série A (2019), marcou o primeiro gol na reabertura do Estádio Olímpico, em setembro de 2016. Na Sul-Americana 2022, foi destaque nas vitórias sobre LDU-Equador (4 a 0) e Antofagasta-Chile (1 a 0). Na temporada, jogou 33 vezes, marcou cinco gols e deu sete assistências.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras: Weverton; Garcia (Mayke), Gustavo Gómez, Luan (Murilo), Piquerez; Danilo, Zé Rafael, Gustavo Scarpa; Dudu, Gabriel Veron, Rony. Técnico: Abel Ferreira

Atlético-GO: Ronaldo; Hayner, Edson Felipe, Ramon Menezes, Jefferson; Gabriel Baralhas, Marlon Freitas, Jorginho; Luiz Fernando, Diego Churin, Wellington Rato. Técnico: Jorginho

Campeonato Brasileiro - 12ª rodada
Local: Allianz Parque (São Paulo-SP)
Horário: 18 horas
Transmissão: Premiere
Árbitro: Ramon Abatti Abel/SC
Assistentes: Kléber Lúcio Gil/SC (Fifa) e Henrique Neu Ribeiro/SC
Árbitro de vídeo: Emerson de Almeida Ferreira/MG