Única representante do futebol goiano na Série A-2 do Campeonato Brasileiro, a equipe do Aliança/Goiás estreia em casa neste sábado (11), às 16 horas, diante do Minas-Brasília/DF. A partida será disputada no Estádio Olímpico e o torcedor poderá assisti-la mediante a doação de dois quilos de alimentos não perecíveis. Numa competição considerada equilibrada, difícil e de clubes que são considerados estruturados, a agremiação goianiense vai brigar por uma das duas vagas no Grupo A, ao lado de Minas Brasília-DF, Athletico-PR e América-MG.

Passam à fase seguinte os dois melhores times de cada chave, em jogos de ida e volta - cada equipe jogará seis vezes na 1ª fase.

Aliança e Goiás fizeram nova parceria no futebol feminino. Por isso, ambos adotam o nome de registro Aliança/Goiás. No torneio nacional, a equipe usará dois uniformes: alviverde (alusivo ao Goiás) e amarelo (Aliança). No alto da camisa, no peito, haverá dois escudos: o do Aliança e o do Goiás.

“Não teríamos como disputar a competição. Estamos muito satisfeitos com a parceria”, disse o coordenador do clube, Luiz Cezar. Segundo ele, o Goiás cedeu a estrutura do CT do Buriti Sereno, cedeu ambulância e médico e ainda ajuda financeiramente. Por isso, foi possível a formação do elenco, que terá a mescla de atletas da base do Aliança, algumas experientes (Cristiane, Dalila, Amanda, Rosilda, Idalana) e foi possível contratar quatro jogadoras no futebol carioca, através de um conhecido de Luiz Cezar que é dono de um projeto no Rio de Janeiro.

“A nossa meta é nos manter na Série A-2 para, depois, fortalecer a parceria”, afirmou Luiz Cezar. A equipe goiana será comandada pela treinadora Christiane Guimarães, ex-atleta do Aliança. Outra ex-jogadora, Raniela, também integra a comissão técnica. O elenco tem sete jogadoras de fora: uma de Caldas Novas, outra do Mato Grosso, uma do Maranhão e as quatro oriundas do Rio.

Para Luiz Cézar, o futebol feminino está inflacionado em termos de salários, custos e há clubes que são bastante estruturados. Por isso, não tem sido fácil contratar jogadoras no mercado. Além disso, a diferenciação nos investimentos. Ele citou que o Minas Brasília-DF, primeiro adversário da equipe goiana no sábado (11), está na capital goiana desde quinta-feira (9), mesmo se tratando de localidades (Goiânia e Brasília-DF) próximas.