A Polícia Civil divulgou, nesta sexta-feira (5), foto e vídeo do suspeito de cometer injúria racial contra Fellipe Bastos, volante do Goiás, no Antônio Accioly, estádio do Atlético-GO, no dia 8 de maio, em jogo do Campeonato Brasileiro. A intenção é identificar quem é a pessoa que está nas imagens.

O Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Geacri) concluiu que houve o crime e a pessoa na imagem foi quem o cometeu. Nas últimas semanas, a imagem foi utilizada em depoimentos de pelo menos 15 testemunhas, mas nennhuma identificou a pessoa.

Junto com a imagem divulgada nos stories do perfil da Polícia Civil no Instagram, estão os números para denúncias (197 ou 62-98495-2047). A denúncia pode ser anônima - a Polícia Civil garante a não identificação do denunciante.

O protocolo, a partir de agora, é a Polícia Civil checar qualquer denúncia que surgir. "Quando chegarem as informações, nós iremos checar todas, uma por uma.
 A Polícia Civil tem equipes de investigadores para verificar se a denúncia procede ou não", contou o delegado Joaquim Adorno, titular do Geacri.

Depois da identificação, a investigação segue seu curso, mas é difícil prever os próximos passos, segundo o delegado.

Leia também:
+ Fellipe Bastos critica "punição branda" ao Atlético-GO em caso de injúria racial

"Depois que o suspeito for identificado, tudo pode ocorrer a depender do que surgir e do que ele falar.  E é possível a acareação, caso seja necessário e haja concordância do investigado. É possível um novo depoimento de qualquer das pessoas que já depuseram, tudo depende do andamento da investigação. É cedo para prever o que vai ocorrer. O certo é que faremos tudo para concluir a investigação da melhor forma possível", contou o delegado.

Joaquim Adorno explicou que, caso a identificação seja confirmada, haverá o depoimento e a conclusão do procedimento com o indiciamento do suspeito. Depois disso, o inquérito será encaminhado ao Ministério Público para análise.

Entenda o caso

O volante Fellipe Bastos disse ter sido chamado de "macaco" duas vezes por um torcedor atleticano na saída do gramado do Antonio Accioly, no dia 8 de maio. 
O clássico entre Atlético-GO e Goiás foi pelo 1º turno do Campeonato Brasileiro, com torcida única do Dragão, como são os clássicos goianienses normalmente. O jogo foi vencido pelo Goiás por 1 a 0.

No dia seguinte, em 9 de maio, Fellipe Bastos registrou ocorrência de injúria racial no Geacri e a investigação começou.

Por causa da injúria racial do torcedor, o Atlético-GO foi punido com a perda de um mando de campo e multa de R$ 50 mil em julgamento na 2ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no dia 26 de julho.

O Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) prevê que o clube pode ser punido por ato de um torcedor. O clube recorreu e, no dia 29 de julho, conseguiu o efeito suspenso da pena até o julgamento no Pleno do STJD.