A comissão técnica do Atlético-GO tem revelado, depois de cada jogo disputado, a intenção de fazer o rodízio de jogadores. Porém, tem esbarrado no caráter decisivo das partidas, na necessidade de faturamento financeiro e nas poucas opções disponíveis dentro do elenco, definido como “enxuto” pelo presidente do clube, Adson Batista. Dividido na disputa de três competiçõe...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários