O técnico do Atlético-GO, Jorginho, disse ter feito a estratégia correta ao repetir o time que venceu o Corinthians na Copa do Brasil e que três dias depois foi goleado pelo Flamengo na Série A. Segundo o treinador, a estratégia foi tomada em conjunto com o presidente Adson Batista, que criticou as escolhas feitas pelo profissional.

“Se eu entro com uma equipe alternativa e tomo quatro, a estratégia não seria a melhor. Para o comentarista, o pós-jogo fica facilitado. A estratégia montada foi a que eu acreditava, que o grupo acreditava. Com o passar do tempo, fomos prejudicados fisicamente. (A estratégia) Foi tomada em conjunto com a comissão técnica e presidente, para entrar com o melhor que acreditamos. Sinceramente, achei que faríamos como fizemos contra o Corinthians”, justificou o técnico Jorginho.

O treinador, no entanto, acredita que pode ter chegado o momento do Atlético-GO ter de priorizar a sequência da Série A para evitar o rebaixamento à Série B.

Leia também
- Presidente crítica escolhas do técnico do Atlético-GO
- Atacante vê Atlético-GO sem 'pegada' na Série A

“A gente tem tentado, dentro das possibilidades, priorizar o Brasileiro. Entramos com força máxima por entender que tínhamos jogadores para o jogo inteiro. De repente vamos conversar com a comissão técnica e presidência para ver se podemos ter uma prioridade em duas competições e utilizar equipe alternativa em outra”, afirmou Jorginho.

O técnico do Dragão também lamentou o intervalo curto entre os jogos. Como segue vivo em três competições, o Atlético-GO não tem folgado durante a semana. Depois da goleada para o Flamengo, a equipe vai ao Uruguai, onde na terça-feira (2 de agosto) vai encarar o Nacional pela Copa Sul-Americana.

“Eu ainda nem tive oportunidade de ver a equipe do Nacional jogar. Vou sair daqui, jantar e dormir bem tarde depois de ver o Nacional. A gente precisa trazer um alento como fizemos contra o Corinthians. Ter equipe organizada, com sangue nos olhos e que envolveu  o Corinthians. Vamos conversar com o presidente (Adson Batista), ver se chegou num momento que vamos priorizar o Brasileiro e colocar equipe alternativa em alguma outra competição”, reforçou o treinador do Atlético-GO.