Sem vencer na Série A depois de jogar cinco vezes na competição, Atlético-GO lamentou a derrota no clássico para o Goiás por 1 a 0, na tarde deste domingo (8), em casa e com um jogador a mais desde os 25 minutos do primeiro tempo, quando o volante Henrique Lordelo foi expulso.

Para o técnico do Dragão, Umberto Louzer, o resultado negativo teve "sabor amargo", mas é preciso buscar forças para se reerguer, pois na quarta-feira (10), o Atlético-GO decide vaga às oitavas de final da Copa do Brasil diante do Cuiabá-MT, fora de casa. No jogo de ida, houve empate de 1 a 1 e não há vantagem na partida decisiva.

Leia também:
Fellipe Bastos denuncia racismo de torcedor no clássico
Com gol aos 48 segundos, Goiás vence o Atlético-GO

"Agora, é levantar a cabeça, descansar os atletas para que possamos projetar a nossa mente para o jogo da Copa do Brasil, contra o Cuiabá-MT. É olhar para frente, trabalhar para que possamos recuperar estes atletas", comentou o treinador atleticano.

Sem tempo, o elenco e a comissão técnica viajam nesta segunda-feira (9) para Cuiabá-MT, onde o time joga no meio de semana pela Copa do Brasil. A delegação não retorna para Goiânia, pois no sábado (13) haverá jogo pela Série A, diante do Atlético-MG, novamente pelo Brasileirão, torneio em que o time busca deixar o Z4 (três pontos), pois empatou três vezes e perdeu duas.

No clube, o discurso é de que o domingo (8) é para se lamentar, mas os próximos dias são para tentar se preparar para os jogos como visitante. "Lamentamos muito o resultado da derrota. Não era aquilo que tínhamos planejado. Nossa expectativa era de que pudéssemos fazer um grande jogo e conseguir fazer o nosso dever de casa. Mas infelizmente saímos de campo com um sabor muito amargo por esta derrota", comentou Umberto Louzer.

Para decidir vaga com o Cuiabá-MT, que tem sete pontos na Série A, mas foi goleado pelo Santos na noite deste domingo (8), por 4 a 1, o Atlético-GO poderá ter à disposição Dudu, vetado na derrota para o Goiás porque teve contusão no pé esquerdo e não passou no teste do vestiário, antes do clássico.

"É levantar a cabeça, descansar os atletas para que nós possamos projetar a nossa mente para o jogo da Copa do Brasil contra o Cuiabá-MT. É olhar para frente, recuperar estes atletas", comentou o técnico do Dragão.

No jogo, ele fez substituições para deixar o time mais ofensivo, o que foi possível, mas a equipe pecou na definição das jogadas, tanto nos cruzamentos, passes, conclusões e nas infiltrações. Não deu certo.

"Vai gerando ansiedade no decorrer da partida. Sabemos que o desgaste físico e mental é gigantesco. Nos faltou um mais de capricho nas finalizações, nossas conexões e nessas ultrapassagens, infiltrações, para gerar desequilíbrio e deixar o companheiro com melhor condição para finalizar", reconheceu Louzer.