Os lances entre os 40 e os 48 minutos do primeiro tempo da derrota por 4 a 2 para o Palmeiras serão analisados detalhadamente pelo técnico Jorginho, do Atlético-GO. O treinador lamentou o que ocorreu neste período do jogo que o rubro-negro vencia antes de sofrer, em sete minutos, quatro gols que o devolveram à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

“Nos perdemos naqueles últimos minutos e acabamos tomando uma virada. Vai doer durante muito tempo”, resumiu Jorginho, após detalhar bastante o quanto o Atlético-GO fazia um bom jogo, abrindo o placar com gol contra de Luan, e sofreu o apagão no fim da etapa inicial.

Leia também:
+ Atlético-GO sofre apagão e é derrotado, de virada, pelo Palmeiras

Com 13 pontos, o Atlético-GO volta à zona de rebaixamento, abrindo a faixa de descenso, que tinha deixado após vencer o Fluminense, na rodada anterior, por 2 a 0. Agora, em três dias, vai enfrentar um adversário do Z4, o Juventude, no Antonio Accioly, domingo (19), às 18 horas.

“Conseguimos fazer 1 a 0, mas lamentamos muito esse apagão. Errar contra uma equipe de extrema qualidade como o Palmeiras é fatal. Foi mortal. No espaço de sete minutos, tivemos os erros, tomamos dois gols de bola parada hoje (nesta quinta). Não tínhamos tomado desde que eu cheguei”, comentou Jorginho, citando um fundamento que chegou a ser traumático para o Dragão em determinado momento da temporada.

No Allianz Parque, o início de jogo foi favorável ao Dragão, que dominava as ações, tinha mais posse de bola e abriu o placar aos 32 minutos. A coisa desandou no fim do primeiro tempo, quando o time sofreu quatro gols, três deles em quatro minutos - marcaram Zé Rafael, Gustavo Gómez (duas vezes) e Gustavo Scarpa. No segundo tempo, o Dragão ainda teve jogador expulso (Arthur Henrique), mas conseguiu diminuir a diferença no placar com Churín.

“O Palmeiras é muito qualificado, não podemos esquecer. Não tomava gol há seis jogos, não é qualquer equipe, não precisa de tantas oportunidades para fazer um gol. O poderio do ataque do Palmeiras é muito forte”, elogiou Jorginho.

Se algo poderia ter sido diferente, Jorginho, que relembrou uma virada que viveu no mesmo estádio em 2000, como jogador, falou que jogadores experientes podem tomar algumas atitudes. “A equipe teve luta, entrega. Quando acontece isso (apagão), tem jogadores experientes no grupo e eles precisam, nesse momento, alguém cair, esfriar a equipe adversária”, comentou o técnico do Dragão.

“Já vivi momentos como esse, não são fáceis de superar. Até pensei em fazer substituição, mas tudo aconteceu muito rápido. Vamos analisar com mais calma os erros que aconteceram nos gols”, completou Jorginho, que preferiu não comentar erros de jogadores nos lances que originaram gols palmeirenses.

“Não gosto de comentar erros dos meus atletas, falar nomes, é injusto. Toda responsabilidade é em cima do treinador, quero pegar para mim. Já aconteceu, houve o apagão, erramos em muitos momentos. Foram quatro gols, vamos analisar com calma. Essa é minha postura como treinador, ex-atleta. Não adianta querer achar culpado”, falou.