O técnico Dado Cavalcanti chegou ao sexto jogo seguido sem vitória no Vila Nova. São quatro empates, duas derrotas e somente um gol marcado, de pênalti, por Arthur Rezende. A lanterna, a fase ruim e a pressão por resultados incomodam.

O treinador reconhece isso e antecipa que haverá mudanças no Vila Nova, tanto para o jogo do dia 25 (sábado), contra o Criciúma-SC, como na janela de transferências da CBF, de 18 de julho a 15 de agosto.

Dado Cavalcanti, após o empate com o Operário-PR, repetiu que tem buscado alternativas dentro do próprio elenco, mas não tem sido  bem sucedido e valorizou o trabalho dos atletas.

Dado Cavalcanti lembrou que nunca viveu na carreira uma fase tão negativa em termos de resultados. Por isso, segue pressionado no cargo. A torcida vaiou o time após o empate de 0 a 0 com o Operário-PR.

"Aqui não tem vagabundo, não tem ninguém de sacanagem", destacou o treinador. Segundo ele, as cobranças têm sido realizadas, mas é preciso um pouco de tempo para que cada jogador dê a resposta esperada. Porém, alguns deles, como o volante Pablo Roberto e o meia João Lucas, deixaram boa impressão no empate de 0 a 0 com o Operário-PR e devem ser titulares no jogo da próxima rodada, em Criciúma-SC.

Outros, como Rubens, Diego Tavares e o zagueiro Eduardo Doma, também podem estar na formação titular. Antes, o treinador havia trocado o goleiro Georgemy por Tony e o novo especialista da posição tem dado resposta positiva ao desafio. O técnico do Vila Nova vai esperar pela janela de transferências para buscar novas peças no mercado.

Sobre o trabalho desde que chegou ao clube, Dado Cavalcanti disse que "venho fazendo as reflexões", mas o trabalho não tem dado resultados. Segundo ele, as cobranças não podem "ser feitas de forma genérica", mas direcionadas, em busca daquilo que cada jogador pode acrescentar nos treinos e nos jogos. "Não posso cobrar e sacar o cara (jogador) depois", explicou o técnico vilanovense.

Indagado se se sente pressionado no cargo após a sequência ruim de resultados e da posição do clube na tabela de classificação na Série B, Dado Cavalcanti disse que isso ocorre desde a chegada ao Vila Nova.

"Pressionado, estou desde que aqui cheguei. Sou treinador e esta é a realidade do futebol brasileiro", ressaltou o técnico. Segundo ele, "há perspectiva de melhora" e é isso que ele e a comissão técnica vão continuar procurando no cotidiano de trabalho.