Destaque do empate do Goiás diante do Atlético-MG com participação direta nos dois gols esmeraldinos, o meia Élvis, de 31 anos, foi titular pela primeira vez com Jair Ventura, mas sabe que não terá sempre lugar cativo dentro da equipe. O treinador esmeraldino enxerga o “camisa 10 clássico” com uma peça a ser utilizada de forma estratégica.

Em meados de abril, após o empate com o Palmeiras, por 1 a 1, na Serrinha, pela 2ª rodada do Brasileiro, Jair Ventura foi questionado sobre a utilização de Élvis no time titular. O treinador respondeu, naquela ocasião, que decidiria qual seria o melhor momento para escalar o camisa 10.

Contra o Avaí, na rodada seguinte, Élvis começou a partida no banco de reservas, mas foi acionado ainda no 1º tempo, aos 33 minutos, após o Avaí ter um jogador expulso de campo e o Goiás ficar com superioridade numérica na Ressacada.

Na partida de Florianópolis, Élvis cobrou a falta e no rebote do goleiro Pedro Raul marcou o primeiro gol esmeraldino. No segundo gol, de forma direta, o meia foi decisivo ao converter cobrança de pênalti e marcar o primeiro dele nesta Série A do Campeonato Brasileiro.

Contra o Atlético-MG, na Serrinha, sábado (30/4), pela 4ª rodada, Élvis participou diretamente dos dois gols do Goiás na partida. No primeiro deles, o camisa 10 deu assistência perfeita para Apodi cabecear e marcar. Assim como fez na Ressacada, Élvis converteu nova cobrança de pênalti e marcou mais um gol na competição.

Mesmo com as participações decisivas do meia nos dois últimos jogos, o técnico Jair Ventura explicou que Élvis é um jogador importante, mas que, em algumas partidas, pode preferir iniciar com atletas de outras características.

“Por vezes, vamos optar por ter um time mais físico do que esse camisa 10 clássico, que costumo dizer que está em extinção”, disse o treinador, após o empate com o Atlético-MG.

O Goiás volta a campo no próximo domingo para enfrentar o Atlético-GO, no Estádio Antônio Accioly, pela 5ª rodada do Brasileirão.

Jair Ventura comemorou o fato de ter, pela primeira vez desde que chegou ao clube, uma semana aberta para recuperação de atletas e para mais sessões de treinos. O objetivo é chegar com mais força física e entrosamento em busca da primeira vitória neste retorno à elite do futebol nacional.

A equipe esmeraldina completou 40 dias sem vencer na temporada, em oito jogos disputados.