O Estádio Serra Dourada está marcado na história, entre outras coisas, pela disputa de jogos importantes, decisivos e que estão nas memórias de milhares de torcedores. Na noite desta quarta-feira (11), após mais de dois anos, o principal palco do futebol goiano volta a receber um jogo com características de decisão. Vila Nova e Fluminense decidem quem avança às oitavas de final da Copa do Brasil, a partir das 21h30.

(Confira as prováveis escalações, escala de arbitragem e onde assistir no final deste texto)

A expectativa é de casa cheia. Até o fechamento desta edição, mais de 20 mil ingressos foram vendidos para o confronto. O Serra Dourada não tem a mesma capacidade de anos anteriores, mas o número atual, de 38.415, ainda é o maior do Estado. A tendência, inclusive, é que o duelo desta quarta-feira (11) se torne o maior público do futebol goiano na temporada.

Como o POPULAR mostrou na edição do último dia 7, o torcedor que for ao Serra Dourada não vai perceber muitas mudanças no estádio. As cores são novas e há guarda-corpos espalhados por toda a praça esportiva. A reforma nos banheiros ainda não começou, o gramado foi revitalizado no final do ano passado, mas as principais alterações são nas estruturas internas do estádio com correções solicitadas pelo Grupo de Atuação em Grandes Eventos de Futebol (GFUT) do Ministério Público de Goiás (MP-GO), após perícias.

Para o Vila Nova, voltar ao Serra Dourada lotado é o resgate de lembranças positivas de campanhas vitoriosas, que se tornam inspiração para o confronto contra o Fluminense. Um exemplo recente são as partidas do título da Série C de 2015, quando o estádio teve média de 38.368 mil torcedores, por jogo, na fase final. O último jogo com mais de 30 mil colorados, inclusive, foi na final contra o Londrina. Segundo o borderô, 39 mil ingressos foram vendidos.

O último jogo da equipe no local, porém, foi de casa praticamente vazia (2.168 pagantes) e empate por 1 a 1 com o Oeste, na 37ª rodada da Série B, que resultou no rebaixamento do time para a Série C, conquistada pelo Tigre na temporada seguinte.

O fator externo é um ponto que o Vila Nova acredita que pode fazer a diferença na decisão de logo mais. O discurso no clube é de manter a concentração elevada durante toda a partida, e aproveitar a energia positiva pelo fato do estádio estar lotado de colorados.

O time goiano terá de reverter a vantagem carioca após derrota de 3 a 2 na ida, em jogo polêmico por causa das decisões da arbitragem. Para o duelo da volta, o escolhido para apitar a partida foi o experiente Anderson Daronco (FIFA/RS). A fase atual da Copa do Brasil não tem o uso da tecnologia do VAR.

Para o Vila Nova, dois caminhos levam às oitavas de final. Um deles é vencer no tempo regulamentar por dois ou mais gols de diferença. A equipe carioca joga pelo empate para avançar. Quem sobreviver nesta quarta-feira também garante R$ 3 milhões de premiação.

A outra possibilidade para o Vila Nova é bater o Fluminense por um gol de vantagem e levar a decisão para os pênaltis.

Nas três últimas temporadas, o Vila Nova decidiu, na Copa do Brasil, três vagas por meio das penalidades. Passou pelo Guarani, neste ano, superou o Juventude em 2021 e foi eliminado pela Ponte Preta em 2020. Em outras competições, foi superado por Grêmio Anápolis (Goiano), Remo e Brasiliense (Copa Verde).

Confira números do Tigre como mandante desde que jogou pela última vez no Serra:
OBA
59 jogos
30 vitórias
21 empates
8 derrotas
62,7% de aproveitamento
88 gols pró
36 gols contra

Olímpico
4 jogos
3 vitórias
0 empate
1 derrota
75% de aproveitamento
8 gols pró
2 gols contra

FICHA TÉCNICA
Copa do Brasil - 3ª fase - Jogo de volta
Jogo: Vila Nova x Fluminense
Local: Estádio Serra Dourada
Data: 11/05/2022
Horário: 21h30
Transmissão: Globo, Premiere e Sportv

Árbitro: Anderson Daronco (FIFA/RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (FIFA/RS) e Michael Stanislau/RS

VILA NOVA: Georgemy; Alex Silva (Moacir), Rafael Donato, Renato e Willian Formiga; Ralf, Arthur Rezende e Matheuzinho; Pablo Dyego, Rubens (Diego Tavares) e Victor Andrade. Técnico: Higo Magalhães.

FLUMINENSE: Fábio; Samuel Xavier, Nino, David Braz, Cris Silva (Pineida); André, Yago Felipe, Nathan (Nonato); Luiz Henrique, Jhon Arias (Willian Bigode) e Germán Cano. Técnico: Fernando Diniz.

Leia também
+ Vila Nova faz treino no Serra Dourada antes de duelo contra o Flu
+ Técnico do Vila Nova vê fator mental como decisivo