Agora é lei. A Chica Doida, prato tipicamente goiano, é também patrimônio cultural e imaterial de Goiás. O projeto de lei apresentado pelo deputado Coronel Adailton (PRTB) foi sancionada pelo governador Ronaldo Caiado (UB) e a receita que teria sido criada em Quirinópolis (295 km de Goiânia) há mais de 50 anos é oficialmente do estado de Goiás.

Na proposta da lei, Coronel Adailton argumenta que esta é “uma tradicional iguaria goiana, que foi criada há mais de 70 anos pela família do Sr. João Rocha e Dona Petronilha, moradores do município de Quirinópolis, em Goiás, e se tornou um ícone da gastronomia goiana.” Ele destaca que o prato  se espalhou e está presente não só em Goiás, mas também em outros estados do Brasil.

O POPULAR já mostrou diversas variações da receita que faz agrada o paladar. O prato derivado do milho faz tanto sucesso que já pode ser encontrado em Goiânia até em versões congeladas. De receita de família criada por volta de 1958, em Quirinópolis, e saboreada na intimidade dos amigos, a chica doida sofreu adaptações e ganhou status de fast food. Ela está presente até nos aplicativos de entrega de comida.

História

Na proposta apresentada aos deputados, Coronel Adailton relatou como a Chica Doida teria sido criada em uma fazenda perto de Quirinópolis. Confira a história:

Dona Petronilha Ferreira Cabral e o marido João Batista da Rocha sempre reuniam a família e os amigos numa pamonhada, na Fazenda Cachoeirinha do Rio Preto, município de Quirinópolis. Conta Dona Petronilha que em meados de 1945, numa dessas pamonhadas, a palha acabou. Na dúvida sobre o que fazer com a massa de milho que havia sobrado, recorreu ao marido, que sugeriu que ela inventasse um prato. Dessa feita, Dona Petronilha foi adicionando a massa de milho bastante cebola picada, alho amassado com sal e pimenta malagueta. A massa foi para o forno e dona Petronilha acrescentava água fervendo para ficar no ponto. Depois espetou as sobras de queijo, linguiça e jiló. Cobriu a massa com fatias de queijo e levou para dourar. Serviu o prato bem quente.

Relata Dona Petronilha que entre um gole e outro de cachaça todos saborearam e se deliciaram com o invento. "Que coisa apimentada é essa, gostosa", queriam saber e também batizar o prato. Foi quando seu marido o Sr. João Batista disse: "É uma coisa de doido! Vai se chamar "Chica Doida", em referência a pimenta e em homenagem a Dona Francisca, uma senhora que morava com a família e foi a responsável por acrescentar grande quantidade de pimenta malagueta à receita.

Depois que se mudou para a cidade, já com a família formada, Dona Petronilha virou referência da culinária de Quirinópolis. Passou a receita para as filhas, para as vizinhas e atualmente toda cidade aprecia o prato. Dona Petronilha, hoje com mais de 80 anos de idade, se orgulha em dizer que a Chica Doida é uma receita de sucesso e se popularizou, conquistando espaço nos cardápios de restaurantes e bares da cidade.

Leia também:

Uma das invenções mais originais de Goiás, chica doida conquista paladares

Polvilho é destaque entre ingredientes populares da cozinha goiana