Os acordes inconfundíveis do refrão de Sultans Of Swing, a introdução no órgão de Walk Of Life e a icônica versão atualizada da história de Shakespeare da faixa Romeo and Juliet não deixam dúvidas: a banda britânica Dire Straits foi uma máquina de hits nos anos 1970 e 80. A boa notícia para os fãs é que o projeto Dire Straits Legacy segue na ativa, dessa vez em turnê que celebra os 45 anos do grupo - e que promete não deixar nenhum dos grandes sucessos de fora. Em Goiás, o show será nesta sexta-feira (27), às 22 horas, no CEL da OAB. A abertura dos portões está marcada para às 20 horas.

O projeto já teve diversas formações ao longo dos anos e a atual conta com quatro integrantes que fizeram parte da banda original em diferentes momentos. Desde 2016, o Dire Straits Legacy conta com o tecladista Alan Clark, que integrou a Dire Straits de 1980 a 1985. Se juntam a ele o saxofonista Mel Collins, membro de 1983 a 1985, e o guitarrista Phil Palmer, conhecido pelo seu trabalho ao lado de Eric Clapton e o próprio Dire Straits, de 1990 a 1992.

O guitarrista Jack Sonni participou das gravações e da turnê do aclamado álbum Brothers in Arms, de 1985. O baixista John Giblin, o baterista Cristiano Micalizzi e o tecladista Primiano Dibiase completam a formação para a turnê que já passou por cidades como Porto Alegre, Florianópolis, São Paulo, Curitiba e Vitória. Quem assume os vocais e a guitarra do Dire Straits Legacy é um antigo fã da banda, o italiano Marco Caviglia. “Nós simplesmente amamos o Brasil. Estamos tendo uma turnê incrível. Como de costume, o público é muito quente e doce ao mesmo tempo e nós sempre nos divertimos muito tocando por aqui”, conta ao POPULAR.

Além de comemorar uma data especial para os ex-membros e fãs da banda com o aniversário de 45 anos, a turnê volta a Goiânia e outros cantos do País e do mundo após um longo período de restrições por conta da pandemia de Covid-19. “Tivemos dois anos malucos com essa pandemia. Mas agora podemos tocar de novo e nos divertir com todos os fãs ao redor do mundo”, comemora Caviglia. “Quando estamos no palco, sentimos que a falta da música ao vivo foi muito sentida nesse último período das nossas vidas”, observa.

Encontro de gerações
Quando uma música do Dire Straits começa a tocar, logo alguém exclama um “essa é da minha época”. Sabemos, no entanto, que bandas surgidas há mais de quatro décadas não restringem seu público a quem os conheceu naquele período. O apelo nostálgico, a influência dos pais, as trilhas de filmes icônicos e as plataformas de streaming estão aí para romper as barreiras entre o antigo e o novo.

Isso faz com que shows como o do projeto Dire Straits Legacy, que tem a proposta de resgatar os grandes hits, se torne um grande encontro entre fãs de diferentes idades. “Tem uma vibe de mistura, cruzamento de gerações nos nossos shows. É muito bom ver na plateia jovens curtindo as músicas e, ao mesmo tempo, ver os ‘jovens’ dos anos 80 revivendo os velhos tempos”, comenta Marco Caviglia.

Esquenta para a noite
Enquanto a hora de assistir ao show do Dire Straits não chega, O POPULAR selecionou sucessos de três álbuns da banda para a sua playlist:

Dire Straits (1978)
O álbum homônimo é o primeiro da banda britânica, fundada pelos irmãos Mark e David Knopfler, John Illsley e Pick Withers. É nele que está o hit Sultans of Swing, provavelmente a música mais famosa da banda. Wild West End, Six Blade Knife e Southbound Again transparecem algumas influências do grupo, como Bob Dylan e  Talking Heads.

Making Movies (1980)
Terceiro álbum de estúdio da banda, é responsável pela música e vídeo icônicos de Romeo and Juliet, além da mais conhecida do álbum, Tunnel of Love. O sucesso rendeu turnês pela Europa, América do Norte e Oceania.

Brothers In Arms (1985)
O mais marcante álbum do grupo Dire Straits foi o primeiro da história a alcançar a marca de um milhão de cópias de CDs vendidas. A famosa e dançante Walk Of Life, com o inconfundível órgão introduzindo a música, está nele, além dos hits Money For Nothing, So Far Away e Your Latest Trick.

SERVIÇO
Show: Dire Straits Legacy
Quando: 27 de maio, sexta-feira
Horário: 20h (abertura dos portões) e 22h (show)
Onde: CEL da OAB (Avenida de Furnas, 312, Jardim Rio Grande, Aparecida de Goiânia)
Ingressos: R$ 90 a R$ 300 através do site shopingressos.com.br ou nas lojas Óticas Diniz

Leia também: 

- Nerivan, da dupla com Nerildo, conta trajetória de superação até a fama

- Henrique e Juliano fazem show em Goiânia com participação de Israel e Rodolffo