Uma inocente ida à manicure que acabou gerando um grande incômodo. Atire a primeira pedra quem nunca teve um “bife” arrancado na hora de tirar as cutículas com alicate, o que pode acabar gerando dores, sangramentos, inflamação e até infecções. O fim desse problema é uma das promessas do método russo de cuidado com as unhas, técnica que utiliza um aparelho com fresas que realizam a microdermoabrasão para a remoção das cutículas, sem realizar cortes.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) define a microdermoabrasão como um procedimento não cirúrgico minimamente invasivo, que ajuda a refinar as camadas superficiais da pele. No método, o equipamento possibilita regular os níveis de esfoliação sob pressão assistida. Essa é uma técnica muito utilizada em consultórios dermatológicos para realizar o peeling físico da pele, como os famosos peelings de diamante e de cristal usados no tratamento de rugas finas e cicatrizes superficiais, por exemplo.

Mas voltando ao cuidado com as unhas, o método russo conta com uma série de outros diferenciais além de promover a remoção de cutículas sem cortes. O método é, na verdade, o conjunto de três técnicas: manicure com aparelho, esmaltação de alta precisão e restauração de unhas naturais, como explica Auanna Oliveira Itagiba, à frente do estúdio Bela Russa, localizado no Setor Nova Suíça. “Totalmente indolor, o método tem como objetivo preservar as unhas naturalmente longas e saudáveis. Como não são utilizados instrumentos de corte, como o alicate, não há retirada de bifes”, aponta.

A esmaltação de alta precisão garante uma longa durabilidade - ou seja, nada de unhas descascadas poucos dias após sair do salão. A durabilidade prometida é de 2 a 4 semanas, sem a necessidade de manutenções durante esse período. “Além disso, evita que o esmalte toque a pele e, consequentemente, cause alergias”, comenta Auanna que, inclusive, conheceu o método por sofrer de alergia a esmaltes e ser positivamente surpreendida.

Auanna pontua que as cutículas passam a crescer menos a cada sessão, ampliando o prazo necessário para refazer e sem o aparecimento das “pontinhas” de cutículas crescendo nesse período. “Como não há corte, a defesa do sistema imunológico não recebe estímulos e, consequentemente, não acelera a produção de uma nova camada de cutículas. Isso significa que, após algumas sessões, é possível notar uma diminuição considerável na quantidade de cutículas, eliminando a necessidade de remoções semanais”, esclarece.

E para quem gosta de unhas compridas, mas não se dá muito bem com as técnicas de alongamento ou não consegue mantê-las por muito tempo sem quebrar ou lascar nos cantinhos, o método russo pode ser a solução. “Acredito que a principal vantagem é ser um procedimento estético com foco na preservação da saúde das unhas. O método dispensa qualquer outra técnica, pois é completo e viabiliza o crescimento natural delas, permitindo que as mulheres possam escolher qual comprimento querem ter”, diz Auanna.

Queridinho do momento
A técnica, na verdade, não é uma novidade - foi criada há mais de 50 anos, na União Soviética, mas vem conquistando o mundo até os dias de hoje. Com tantas vantagens prometidas, é fácil imaginar que o método russo já tenha caído nas graças de blogueiras, influencers e se popularizado em Goiás e Brasil afora. 

Foi através de indicações nas redes sociais que a publicitária Stela Láyzha Rabelo e Silva, de 29 anos, conheceu o método há cerca de um ano. Desde então, não largou mais por uma série de motivos. “Minha unha sempre foi muito fraca sempre descasca muito fácil. A cutícula ainda estava intacta, mas não conseguia continuar com ela porque já estava descascada e tinha que voltar no salão”, conta. 

Buscando soluções para manter as unhas feitas por mais tempo, ela recorreu aos alongamentos, o que não foi a melhor pedida no seu caso, já que ela pratica escalada como esporte. "Tentei várias técnicas, mas sempre quebrava ou arranhava e eu precisava voltar rápido para fazer a manutenção”, lembra. As novas unhas já passaram pelo teste final de Stela: “Mesmo nas épocas que estou escalando muito, é excelente. Não sai, não arranha e nem descasca”, afirma.

Não ficar refém do alicate já e nem de ter que voltar ao salão toda semana estão no topo da lista de vantagens da publicitária, que realiza a manutenção de 20 em 20 dias, em média. "Estou sempre de unha feita, sem precisar me deslocar toda semana para ir à manicure. E, principalmente, não é invasivo como com o alicate, já que não corta e nem machuca”, diz.

Custo-benefício
É possível encontrar o método russo em Goiânia com opções de serviços entre R$ 190 a R$ 260, com duração de 2 a 3 horas, em média. O preço é mais elevado que o de uma manicure tradicional, assim como o tempo médio gasto. A avaliação do custo-benefício é individual; para Stela Láyzha, por exemplo, o serviço é vantajoso. "É legal pontuar que você não precisa ficar indo ao salão toda semana, o que demanda tempo e deslocamento. Com o método russo demora mais mas, no meu caso, são 3 horas a cada 20 dias apenas", aponta.

Alongamento segue em alta
Soluções para a correria do dia a dia são sempre bem-vindas e há algum tempo que os alongamentos de unhas não saem da ponta dos dedos e do feed das redes sociais daquelas que amam unhas compridas. O sucesso também foi impulsionado com a popularização da nail art, que permite que profissionais e clientes esbanjem criatividade e imaginação. As técnicas de alongamento são diversas, como as unhas em fibra de vidro, acrygel, gel moldado e acrílico. 

Para manter as unhas com alongamento sempre bonitas e não correr o risco de danificar as unhas naturais, é preciso tomar alguns cuidados, como explica Rose Lourenço, à frente do ateliê Além do Olhar. “Todas as técnicas são ótimas, mas as clientes precisam ter alguns cuidados com as unhas, principalmente as maiores, que exigem um pouquinho mais de atenção por terem mais facilidade de quebrar com impacto”, diz. A durabilidade é, em média, de 20 a 30 dias entre as manutenções.

Entre os principais cuidados, Rose destaca usar luvas ao executar serviços domésticos, não utilizar as unhas como instrumento e não deixar de fazer a manutenção correta com um profissional dentro do prazo máximo de 30 dias. “Se a manutenção for feita corretamente, a unha natural não é danificada. Caso a pessoa queira retirar o alongamento, existem hoje em dia produtos e técnicas para que essa retirada seja feita sem ocorrer dano algum”, pontua.

E se a dificuldade é manter as unhas dos pés em dia com os cuidados e manutenção, ela afirma que há técnicas para essa área também. “Nas unhas dos pés pode ser feito um banho de gel ou esmaltação em gel para maior durabilidade do esmalte. E, caso precise, pode ser feita uma reconstrução nas unhas quebradas ou que não tenham o formato desejado”, diz.

Glossário do alongamento
Confira quais são as principais técnicas e cuidados quando o assunto é alongamento de unhas, com dicas dadas pela nail designer Liara Godoi:

Mais procuradas - As técnicas de fibra de vidro, acrygel, acrílico e gel moldado estão entre as queridinhas. “As mais populares são as de gel e fibra de vidro, pois permitem uma curvatura mais natural. As de fibra de vidro têm sido apontadas como as de maior durabilidade”, comenta.

Nos pés - Liara conta que a técnica de fibra de vidro tem sido a com mais resultados positivos, por ter durabilidade maior e por ser mais resistente ao impacto e movimentos dos pés.

Cuidados - O tempo da manutenção deve ser respeitado para evitar a proliferação de fungos e bactérias entre o alongamento e a unha natural. “Cada trabalho tem a sua vida útil com durabilidade entre 18 e 23 dias. Isso muda de acordo com o crescimento da unha natural, que varia de organismo para organismo”, diz.

Atenção! - Se bem cuidado, o alongamento não será prejudicial para as unhas naturais. “O que realmente pode prejudicar é arrancar com a boca ou lixar em casa com um tipo de lixa imprópria para o tipo de alongamento escolhido. Nesse caso, pode haver um descolamento da unha natural ou até um rompimento ou infiltração na unha, e isso pode acarretar fungos”, alerta.

DICAS RÁPIDAS

Digitar com a unha estraga o alongamento?
Sim! O ato de digitar com a unha danifica a estrutura do material, podendo diminuir o tempo útil da técnica. 

Use luvas!
Produtos químicos em contato com a unha natural e o alongamento podem danificar a base e abrir fissuras que amoleçam o material. Use luvas para manipular produtos de limpeza pesada.

Pode tirar em casa?
Não é recomendado! O melhor é solicitar a retirada para o profissional, que irá utilizar os produtos indicados para cada material. O produto que retira acrílico é diferente do da fibra, e esse cuidado é imprescindível para a saúde da unha natural. Também não é recomendado tentar “arrancar” a unha, os cantos e a cutícula com os dentes, já que além do perigo de engolir parte do material, é anti-higiênico.