O Instituto Tecnológico de Goiás em Artes Basileu França dá início hoje, às 18 horas, ao evento Ciganos: Rodas e Memórias, que contará com exposição de pinturas e instalações, danças tradicionais ciganas, palestras e a exibição do filme Rio Cigano, dirigido por Julia Zzquia. A proposta do evento é buscar na história, de forma poética, as tradições ciganas.

A abertura, hoje, contará com vernissage da exposição dos alunos do curso Técnico em Produção Artística, sob orientação da professora Izabel de Medeiros, e apresentação de danças tradicionais ciganas. Logo após, às 19h30, haverá palestra com Elisa Costa, presidente da Associação Internacional Maylê Sara Kalí. Segundo Izabel de Medeiros, "os caminhos percorridos, os desafios e as constantes lutas para manter as tradições de liberdade e ideologia, foram utilizados como fonte de pesquisa para a realização do evento".

Amanhã, às 15 e ás 18 horas, será exibido o filme Rio Cigano. Trata-se de um drama experimental lançado em 2013 pela cineasta Julia Zaquia. Com 1h20 de duração, o longa-metragem conta a história da cumplicidade entre duas meninas ciganas, Kaia e Reka, violentamente separadas na infância e criadas em mundos distantes. Durante uma viagem, os ciganos se veem obrigados a atravessar a fazenda de um conde, de onde são expulsos. Em meio à fuga, uma das meninas se perde e é raptada pelo fazendeiro. Ela é criada no casarão da fazenda como servente da condessa e, absorvida pelo trabalho, cresce agarrada às poucas lembranças da vida cigana. Kaia, por sua vez, é criada pela própria família até deixar o acampamento e partir sozinha em busca de Reka. O filme é inspirado na narrativa oral cigana, com temas contemporâneos como o consumo da vaidade e as linhas de amor atravessadas pela amizade entre as personagens. No elenco, estão Leuda Bandeira, Georgette Fadel, Mariana Senne, Jerry Gilli e Sielma Ferra.

A programação do Ciganos: Rodas e Memórias é toda gratuita. O Itego Basileu França fica na Av. Universitária, nº 1.750, Setor Universitário.