O artista plástico goiano João Colagem é o único brasileiro que integra o livro Verbeke Foundation - Collages & Assemblages (2022), edição comemorativa da instituição Verbeke Foundation, sediada na Bélgica. A publicação foi lançada no domingo (12) e reúne 5 mil obras de 500 artistas e textos dos críticos Xavier Canonne, Geert Verbeke e Marie Verboven.

O livro pretende apresentar ao público o acervo de colagens da instituição e tem curadoria de Verboven. Com exceção do goiano, todos os artistas que assinam as obras são dos Países Baixos. O artista residiu em Roterdã, na Holanda, desde meados dos anos 1990 e há quase sete anos vive em São Paulo.

João Alves Pereira Bragança, o João Colagem, tem 54 anos e é natural de Trindade. Como o nome artístico que adotou adianta, a colagem é a principal técnica e marca registrada do artista plástico. Entre os reconhecimentos de sua carreira, João é um dos artistas que possui obras no livro Cut & Paste XXI Century Collage (Colagem do Século 21), de 2012, publicado pela Laurence King Publishing Londres e Nova York e assinado por Richard Brereton e Caroline Roberts.

Suas obras integram o acervo do Museu de Arte de Goiânia (MAG) e fizeram parte da exposição comemorativa dos 50 anos do museu em 2020, na mostra MAG – Um Museu Fora do Eixo. O número expressivo de trabalhos de João Colagem disponíveis no acervo do MAG foi todo doado por ele. “É uma coleção que conta uma história. Doei pelo carinho que tenho pelo espaço e pelo meu interesse em valorizar a arte no Centro-Oeste”, disse ao POPULAR.

As colagens de João, cobiçadas por colecionadores e que já foram expostas ao redor do mundo, têm como uma de suas características marcantes a presença da figura humana e de elementos de estilos como o barroco brasileiro em composições repletas de experimentações. Em 2011, ele aportou no Rio de Janeiro para entregar pessoalmente a sua série de gravuras Peles e Linhas, que foi adquirida integralmente pelo colecionador Gilberto Chateaubriand, filho do jornalista, advogado, político e empresário Assis Chateaubriand.

Recentemente, a Verbeke Foundation adquiriu um lote de obras de João Colagem, que agora integram também o novo livro. A curadora Marie Verboven explica que o critério para a escolha das obras foi qualidade e originalidade.

Idealizada pelos colecionadores de arte Geert Verbeke e Carla Verbeke-Lens, a fundação é uma galeria de arte que abriu suas portas ao público em junho de 2007, época em que o goiano ainda morava na Europa. Em breve, estarão disponíveis depoimentos dos artistas participantes e o livro em versão virtual no site da galeria, verbekefoundation.com/en.