O movimento "Goiânia, capital da MPB ao vivo nos bares", se tornou bem do patrimônio cultural. O decreto com o reconhecimento foi assinado nesta terça-feira (3/5) pelo prefeito Rogério Cruz e pelo secretário municipal de Cultura, Zander Fábio, em solenidade no Paço Municipal. Durante o evento, que contou com a presença de diversos artistas, a gestão municipal anunciou a construção de um monumento criado pelo artista plástico Siron Franco na Praça Tamandaré, local que foi palco do movimento musical, nas décadas de 1970 a 1980, na capital. 

O monumento na Praça Tamandaré, anunciado por Rogério Cruz, prestará homenagem a artistas incluídos no cenário musical das décadas de 1970 a 1990.  A obra terá formato de uma clave de sol, medirá quatro metros de altura e será constituída de aço inoxidável espelhado. Na assinatura, estarão presentes o artista Siron Franco, autor da obra, cantores goianos que integraram o movimento, e empresários locais. 

Leia também
- Documentário resgata era de ouro da MPB ao vivo nos bares de Goiânia
- Representantes do sertanejo e da MPB se posicionam após fala de Gusttavo Lima em Goiânia 

Zander Fábio explica o motivo da escolha da Praça Tamandaré para a homenagem. “Foi o epecientro do movimento, uma vez que concentrava os bares mais conhecidos da época, como Ero Bar, Beto ́s Bar, Degraus, Cavalhadas, Ciriu´s, Don Quixote, Tot´s, Beb's Bar, Jota´s, Flor da Pele, Botteko e Cliff”, afirmou Zander Fábio. 

"Nossa capital é conhecida, também, pela diversidade de bares e apresentações musicais. Reconhecer o movimento como patrimônio cultural é legitimar, historicamente, a presença da música como arte, entretenimento e meio de renda para quem faz e vive dela”, destacou o prefeito.

Resgate
De acordo com o documentarista Marcos Vinícius Gomes, a cidade chegou a ser reconhecida nacionalmente por sua vocação boêmia nos anos 1970 e 1980. Mas recentemente, a tradição ficou enfraquecida.  Para resgatar a cena cultural da época e seus principais atores, ele produziu o documentário 'Bons Tempos Goiânia - A Capital da MPB ao Vivo nos Bares'. 

O documentarista conta que o clima quente e a falta de outros atrativos culturais foram fatores fundamentais para transformar a Goiânia da época capital dos bares com música ao vivo. "Sem praia e mar, o caminho da juventude era quase sempre o bar. Com cadeiras normalmente ao ar livre, as famosas choperias anunciavam em cartazes com letras garrafais que as noites seriam com música."

Após o resgate da memória por meio do documentário, a cena cultura da MPB nos bares de Goiânia foi declarada patrimônio cultural da cidade pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural. O reconhecimento ocorreu em outubro do ano passado e serviu como base para o decreto municipal desta terça-feira.

(Laura Oliveira é estagiária do GJC em convênio com a PUC Goiás)