Novas estações, novas tendências. O inverno de 2022 começa oficialmente nesta terça-feira (21), mas as temperaturas mais baixas já estão dando as caras há algumas semanas. Assim como na moda, as escolhas para a pele e cabelos também são impactadas pelas mudanças climáticas, como a queda da temperatura e, principalmente, da umidade do ar.

“O ressecamento da pele durante o inverno acontece por diversos fatores: causas externas, como ventos frios, clima seco e banhos mais quentes, que favorecem a diminuição da umidade natural; e causas internas, como o encolhimento das células da pele que prejudicam uma proteína chamada filagrina, responsável por criar uma barreira de proteção que afasta microorganismos e evita a perda de fluídos”, explica a dermatologista Vanessa Perusso.

Substituir demaquilantes por fórmulas hidratantes e isotônicas e preferir espumas de limpeza com textura leve, que não ressecam, estão entre as indicações da especialista. “E não dá para esquecer de hidratar o rosto no inverno. Por isso, tenha um hidratante em mãos logo após lavar o rosto”, recomenda. “Ele é quem vai recuperar e manter a barreira protetora da pele contra as ações externas e estimular a hidratação natural para melhorar sua textura, maciez e luminosidade”, diz Vanessa.

Depois dos cuidados com a pele em dia, é a hora das melhores escolhas na hora de se maquiar. “A nossa pele costuma sofrer com as mudanças de temperatura e umidade. Por isso, usar um primer hidratante antes da maquiagem é essencial, já que a pele tende a ficar mais ressecada durante o inverno”, diz o maquiador Wanderson Gregorio. “Uma base com textura cremosa e hidratante também não pode faltar”, completa.

Pelo mesmo motivo, seja na escolha da sombra ou do batom, é hora de deixar o acabamento matte um pouco de lado. “O indicado é apostar em produtos e acabamentos hidratantes e luminosos. Para essa estação, dê preferência a itens com textura cremosa e cintilante”, comenta Wanderson.

Elegância e glamour
Já ouviu que “as pessoas ficam mais elegantes no inverno”? Para o maquiador do Boticário, Sadi Consati, a maquiagem acompanha esse mesmo movimento. “Agora é hora de ousar nas produções. No inverno, nós naturalmente já nos vestimos com mais glamour, e a maquiagem apenas acompanha isso”, aponta. 

Cores fortes, intensas e vibrantes, com efeito monocromático e muita luminosidade estão entre as tendências para a estação. “Tons supercoloridos e impactantes se tornam protagonistas das maquiagens, trazendo alegria e modernidade para o look”, explica Sadi. O maquiador Wanderson Gregorio reitera a mesma ideia. “Cores que fujam do óbvio, principalmente em tons metalizados e pastéis, estão entre as apostas. Os vários tons de marrom também, que sempre permanecem e têm o seu lugar”, comenta. Para o batom, ele indica os tons marsala, vinho, roxo e marrom.

O delineado gráfico se tornou trend nas redes sociais nos últimos meses e, segundo Sadi, ganhou ainda mais força para o inverno, principalmente no efeito “gatinho”. Para o batom, ele também destaca tons de azul e preto nas produções mais ousadas.

Esquentando os fios
Assim como a pele, os cabelos também podem sofrer com o ressecamento com a chegada do clima mais frio. As apostas de coloração para o inverno são as variações de tons mais quentes, em oposição às temperaturas amenas. A proposta é priorizar fios naturais, saudáveis, brilhantes, que iluminam o rosto e aquecem a temporada. Uma alternativa para manter o crescimento saudável é manter a raiz natural, longe da descoloração, como indica o cabeleireiro Rick dos Anjos, especialista em cabelos do Boticário.

Ele aconselha o uso de produtos específicos que ajudem a selar e repor a massa capilar perdida nos processos químicos. “Devem também ser evitados banhos muito quentes, que abrem as cutículas intensificando a porosidade e facilitando o desbotamento dos tingidos”, diz. Já para a escolha da tonalidade, ele aponta que é importante considerar a infinita gama de variações de pele para encontrar tons que harmonizem com cada pessoa. 

A avaliação do fundo de pele é feita por um profissional, que vai dizer se é amarelado, rosado, frio ou quente, além de considerar as possibilidades de alto, baixo e médio contrastes entre rosto e cabelo. O ideal, segundo o especialista, é buscar tonalidades próximas à original, criando um efeito de iluminação natural e trazendo um ponto de luz de forma diluída na cor prevalente da base. Uma técnica muito usada nos anos 2000 e que voltou com tudo ultimamente é a balaiagem, que imita nos fios o efeito do sol e atende uma demanda natural, priorizando a saúde das madeixas. 

A cirurgiã dentista Ana Luíza Ambrozio tem os olhos azuis e os fios naturalmente castanhos escuros. Ela optou por iluminar os fios com tons dourados por meio da técnica que utiliza papel alumínio. “Alguns anos atrás, descolori em uma cor muito clara, que deixou meu cabelo quebradiço e sem brilho. Tive de cortar bem curtinho e deixar crescer”, conta. “Deixei um tempo na cor natural, que é bem escuro, quase preto, e hoje encontrei a cor que mais valoriza minha pele que é iluminada em tons quentes”, comemora.

(Petra Ortega é estagiária do GJC em convênio com a PUC Goiás)

Leia também: 

Harmonização facial exige cuidado com os exageros

Shakira contrata detetives para descobrir traição de Piqué