Nessa chuvosa e invernal primavera paulistana, hoje foi a primeira vez que escutei um bem-te-vi cantar “na falsa seringueira” que enfeita minha rua. É uma bela manhã de sol e vim feliz me sentar para escrever esta crônica.

Antes, como sempre, leio o jornal. E o que…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários