Imagine que uma velha dama, não tão velha que não se valha mais das próprias pernas para andar ou das mãos para apertar o espartilho, ajeitar a ampla crinolina, fazer a própria toalete e abrir um fecho-éclair alheio, haja atravessado um longo e demorado inverno - não a…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários