Um nariz entupido, ficar sozinho em casa por muito tempo e até mesmo o ato de dirigir. Por muito tempo, situações absolutamente comuns do cotidiano despertavam no compositor Celi Júnior, de 27 anos, sensações de angústia, ansiedade e pânico. Ele não sabia, mas eram gatilhos capazes de disparar uma série de reações emocionais. “O que mais me ajudou a superá-los ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários