Novos personagens estão entrando em Pantanal para movimentar a novela, e um deles é o filho mais velho da relação extraconjugal de Tenório (Murilo Benício) e Zuleica (Aline Borges). Interpretado por Lucas Leto, 23, Marcelo estava previsto para chegar à fazenda do pai no capitulo que foi ao ar nesta segunda-feira (13). Ele e Guta (Julia Dalavia), sua suposta meia-irmã, vão se apaixonar. Na versão original, os dois transam e ela acaba engravidando. A questão do incesto entra em debate, numa trama com algumas reviravoltas. Em uma conversa no intervalo das gravações, Leto diz que sabe o desafio que é fazer com que o espectador torça pelo romance de Guta e Marcelo. “Claro que eu quero que as pessoas ‘shippem’ o casal mesmo sabendo que o amor entre irmãos é chamado de pecado, que não é aceitável na nossa sociedade. Torço para que isso aconteça.”

Como é interpretar um personagem que traz a questão do incesto para a trama, ao se apaixonar pela suposta meia-irmã?

(Interrompendo) É complicado. Foi muito difícil tentar entender esse amor, essa conexão que ele tem de cara com a Guta. A princípio, o Marcelo não sabia do parentesco. Mas, depois que ele descobre que os dois são meio-irmãos, passa a reprimir o amor, o afeto, o cuidado e o tesão que já tinha construído.

Nem tão reprimido assim, já que eles vão ficar juntos e chegam a transar. Não teme a rejeição do público?

O interessante vai ser isso: como o Marcelo e a Guta vão lidar com misto de sentimentos debaixo do mesmo teto e fazer com que as pessoas ‘shippem’ o casal mesmo sabendo que o amor entre irmãos é chamado de pecado, que não é aceitável na nossa sociedade. Torço para que isso aconteça.

Vocês já gravaram a cena de sexo? Como foi?
Ainda não gravamos. A única coisa que eu sei é que o toque entre eles é quase como um choque. O negócio é forte demais.

Quando a primeira versão da novela foi exibida, em 1990, Guta engravidou de Marcelo e os dois terminaram juntos, após descobrirem que não têm o mesmo pai. Acha que o final será mantido?
Acho que sim. Me coloquei no lugar do Marcelo e a probabilidade de você se relacionar com um parente sem saber é muito extrema e irreal. Como uma pessoa se apaixona loucamente e descobre que tem o teu sangue também ali no outro? Loucura. Mas, estudando o texto, coloquei na cabeça que eles não eram irmãos e terminariam juntos.

Vocês acompanham a repercussão da novela enquanto estão gravando no Pantanal?
A gente não vê quase nada. Estamos muito imersos e envolvidos, mas acompanho um pouco e fico assustado por ainda não ter entrado na novela e já receber várias mensagens privadas.

Que tipo de mensagens?
Do tipo “Que gostoso esse Marcelo!”, “Se sem camisa é tudo isso, imagina sem o resto”... Meu Deus! Fico super sem graça. Tem outros comentários pesados, e eu não estou acostumado (risos). Fico assustado.

O que vocês fazem nas folgas?
O Guito (ator que interpreta o peão Tibério) é muito animado, faz shows com violão e gaita que todo mundo adora. Mas aqui tem sido muito corrido. As fotos que nós postamos no rio ou na piscina são raras e pontuais, as gravações são muito intensas. Nós dormimos cedo. Aliás, adquiri essa prática de dormir por volta das 22 horas e acordar antes de o sol aparecer. O dia aqui faz sentido.

Vocês não assistem à novela?
Sim. Assistimos juntos e esse é o encontro de todo mundo. A novela é tão boa, e isso é um consenso geral, que a gente quer ver como ela está sendo montada e apresentada para o público. Ficamos vendo e comemorando.

Comemorando como?
A gente grita e aplaude as cenas da Maria Bruaca, que a Isabel Teixeira está fazendo tão bem. Vibra com o empoderamento dessa mulher, a virada da Bruaca. Choramos com o José Luca do Irandhir Santos e a entrega de seu Osmar Prado (intérprete do Velho do Rio). Isso é tão bom. É uma catarse. A gente vai dormir superempolgado para o dia seguinte de mais um trabalho.