Memória...

Nesses momentos em que leio algumas cartas nessa coluna, sinto saudades do professor Nion Albernaz, quando diante de algumas colocações sem nenhum nexo de esclarecimento, ele dizia: “Isso é no mínimo engraçado”. Respeito todas as opiniões, pois a liberdade de se pensar ainda é uma soberania do cidadão. Diante de alguns fatos recentemente acontecidos, não sei se essa liberdade será continuada. Mas vamos lá. Em 2019, o presidente eleito assumiu o governo do Brasil. Nesses quase 37 meses, o Brasil e o “resto do mundo” teve uma pandemia, a Covid, um isolamento de quatro meses, fechamento de comércio e algumas indústrias, crise econômica. Tudo culpa do Bolsonaro? Vejamos algumas verdades. Nesse período do “fica em casa”, nenhum funcionário púbico ficou sem receber seus polpudos salários. Todos pagos no último dia do mês. Na iniciativa privada, pelo contrário, houve redução de salários e até desemprego. Não faltou vacina em lugar algum do Brasil. As mortes havidas, foram consequências de um sistema de saúde sucateado, anteriormente a 2018. Culpa do Bolsonaro? Não faltaram recursos para nenhum estado ou município utilizar no combate à pandemia. Essa é a verdade que os desmemoriados fazem questão de não lembrar. Os anões do orçamento? O mensalão? A Lava Jato? Os rombos de Petrobras? O BNDES? Nesse período o Brasil foi um “faz de conta”? O que queremos? Um Brasil para nossos jovens, conforme vi em muitas cartas. Mas, conscientemente, Lula, condenado em três instâncias, seria o cidadão apropriado para dar aos nossos jovens esse Brasil realmente provido de valores éticos? Na minha humilde consciência inteligente, não vejo essa verdade. Como acreditar em Brasil melhor, sendo governado por quem mostrou durante 14 anos que roubar é vantajoso? É por isso que o “faz-me rir” do professor Nion me dá saudades.

José Carlos Riccioppo | Setor Oeste - Goiânia

 

Eleitorado feminino

As mulheres brasileiras são maioria do contingente votante. Podem construir um novo Brasil. Não percam a próxima oportunidade. Não desperdicem seus votos, busquem capacidade. Chega de populismo e demagogia. Chega de conversa fiada. Salvem a nossa democracia. Dá pra acabar com a fome, melhorar a educação, a saúde, dá pra acabar com o desemprego. Nossa gente precisa viver melhor. Precisa viver com mais sossego. Ah, se eu pudesse gritar pra todas as mulheres ouvirem o meu alerta, tenho certeza que elas fariam uma presidenta. Seria a coisa mais certa.

Jeovah Ferreira | Taquari - DF