Uma das tragédias diárias do Brasil ganhou atenção especial, com promessa de que será atacada de frente. Trata-se dos acidentes de trânsito, que, de acordo com reportagem nesta edição, matam quatro pessoas por dia em Goiás em 220 ocorrências diárias.

O Estado aderiu ao Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito, que pretende cortar pela metade o número de acidentes até 2028. A expectativa é de poupar 86 mil vidas até lá. Não é pouca coisa.

Como também não é

uma missão fácil. Embora as estratégias estejam definidas e colocadas à mesa, é necessário compromisso para implementá-las e seriedade para fiscalizar. E, acima de tudo, torna-se fundamental a mudança de comportamento do cidadão, além de intensa cooperação entre autoridades que cuidam dos órgãos de trânsito.

A Educação é condição básica para que as modificações propostas virem realidade. Quaisquer que sejam as medidas adotadas, devem elas serem acompanhadas de campanhas educacionais que façam nascer em todos a noção de respeito durante a condução de um veículo. De nada adianta planos e projetos se cada indivíduo não fizer a sua parte. E podemos começar dando seta, respeitando limites de velocidades, parando antes das faixas, obedecendo semáforos...